Não usar cadeirinha é um risco para pais e crianças, alertam especialistas

Número de autuações por transporte irregular dos pequenos cresceu 41% no último feriado

Por Lucas Cardoso

Crianças acomodadas no dispositivo de segurança tem 70% menos chance de sofrer acidente
Crianças acomodadas no dispositivo de segurança tem 70% menos chance de sofrer acidente -

Rio - Para os motoristas que vão pegar a estrada com crianças no carro no feriado que começa a partir de amanhã, é importante ficar atento ao uso correto das cadeirinhas infantis. Pouca gente sabe. Mas esses equipamentos possuem indicação para cada faixa etária e peso. O número de autuações por transporte de crianças sem a proteção exigida cresceu 41% em comparação ao mesmo período do ano passado no feriado da Independência, apontou a Polícia Rodoviária Federal (PRF). Em meio a esse cenário, especialistas falam sobre a importância desse tipo de proteção.

Os assentos para crianças estão entre os cinco principais fatores decisivos na redução da mortalidade do trânsito. De acordo com a Organização das Nações Unidas (ONU), o risco de morte cai, em média, 75%, com os dispositivos. "Algumas pessoas acham que esse tipo de acidente nunca vai acontecer com elas. Outras desconhecem as consequências ou minimizam os riscos para as crianças durante uma colisão no trânsito. É questão de educação", diz Cláudia de Moraes, especialista em educação digital para formação e capacitação de condutores.

Além de configurar uma infração gravíssima, com multa de R$ 293,47 e a perda de sete pontos na CNH, não utilizar os itens reduz a efetividade de itens de segurança presentes nos carros, como airbags. "Em uma colisão, por ter um corpo mais leve e menor, crianças fora da cadeirinha podem ser lançadas para fora do carro pelo vidro dianteiro ou lateral", alerta o ortopedista pediátrico Rommel Barreto.

Lei da cadeirinha

Com dez anos, a Resolução 277 do Conselho Nacional de Trânsito (Contran) ainda causa dúvidas. Segundo determina o documento, bebês de até 1 ano ou 13 quilos devem utilizar o bebê conforto, que fica posicionado de costas para o movimento do trânsito e no banco traseiro. De 1 a 4 anos, as crianças devem usar a cadeirinha. O assento por elevação, último equipamento de segurança para os pequenos, é indicado para crianças de 4 a 7 anos. Os pais continuam obrigados a acomodar crianças no banco traseiro até os 10 anos.

Para o ortopedista pediátrico Rommel Barreto, essas regras devem ser seguidas. Mas não podem ser levadas à risca. Os pais precisam avaliar sempre três fatores na hora de escolher ou mudar o dispositivo de segurança: tamanho, peso e idade. "Se um bebê com menos de 1 ano é grande para idade, ele deve passar do bebê conforto para o próximo, que é a cadeirinha", orienta.

Viagem de carro

Em viagens longas, é comum que a interação entre passageiros e motorista seja grande. Segundo a especialista na condução Cláudia de Moraes, está comprovado que o uso do assento de segurança deixa crianças menos agitadas. "O motorista deve estar atento, única e exclusivamente ao que acontece a sua frente".

Aprovadas e reprovadas

Veja os modelos reprovados e suas notas, numa escala
de 0 a 100:

Galzerano Piccolina: 40

Kiddo Crescer: 38

Safety 1st Concept: 35

Chicco Xpace: 30

Baby Style Cadeira : 24

Lenox Casulo: 18

Galzerano Transbaby: 16

Kiddo Traveller: 16

Galzerano Dorano: 14

Chicco Eletta: 14

Burigotto TR SE 3030: 10

Lenox Caracol: 2

Os mais bem
avaliados e suas notas:

Chicco Key Fit: 73

Burigotto Touring
Evolution 3042: 63

Cosco Auto Evolve: 60

Burigotto Multipla: 60

Galeria de Fotos

Crianças acomodadas no dispositivo de segurança tem 70% menos chance de sofrer acidente Divulgação
Viagem em família é oportunidade de estreitar laços. Mas merece atenção quanto a questões de segurança FOTOS Divulgação

Comentários

Últimas de Automania