Montadora mostra sua visão de futuro para a Fórmula 1

Divisão de tecnologia da McLaren apresentou uma previsão de como será a competição de alto desempenho em 2050

Por O Dia

Circuitos se adaptarão ao clima e ao público. Pistops terão áreas com carregamento indutivo de baterias para os carros
Circuitos se adaptarão ao clima e ao público. Pistops terão áreas com carregamento indutivo de baterias para os carros -

Rio - A Fórmula 1 é uma das categorias mais evoluídas do automobilismo mundial. E, a depender de anúncio da McLaren, assim permanecerá nas próximas décadas. Por meio de sua divisão de tecnologia, chamada de Applied Techologies, a escuderia divulgou a expectativa para a temporada de 2050. Carro 100% elétrico, capacete multimídia, condução com ajuda de inteligência artificial, pneus regenerativos e velocidade máxima de 500 km/h são novidades que estão por vir.

Batizado de MCLExtreme, o carro de competições do futuro terá propulsão elétrica e deverá contar com baterias dobráveis e totalmente integradas ao design do veículo. Além disso, todas as formas e linhas do carro serão mutáveis. Ou seja, o piloto poderá realizar mudanças na aerodinâmica enquanto dirige, como abaixar a asa traseira para conseguir maior arrasto.

MCLExtreme, conceito desenvolvido pela McLaren para o futuro da Fórmula 1 - fotos Divulgação

Essa não é a primeira vez que a equipe de corridas pensa o futuro da competição. Em 2015, a mesma equipe de desenvolvimento apresentou o MP4-X, versão futurista dos atuais carros utilizados na F1. Contudo, a nova proposta supera a iniciativa ao projetar também as pistas de corrida.

De acordo com a McLaren, as provas contarão com circuitos suspensos, trechos sobre a água e terão arquibancadas móveis. Nos pitstops, outra inovação: o carregamento de bateria dos carros será por indução, sem a necessidade de cabos. A tecnologia é similar ao que já existe hoje para smartphones.

Na direção, o piloto dividirá espaço com a inteligência artificial, que exercerá funções de um copiloto. O sistema será capaz de antecipar traçados com orientação de desempenho, auxiliando o competidor na tomada de decisões.

Os pneus regenerativos deverão utilizar polímeros de alta tecnologia que permitem a reparação sem a necessidade da troca. Esses componentes já existem, e foram testados no Instituto Leibniz de Pesquisa de Polímeros, na Alemanha. Na avaliação, os pesquisadores afirmaram que os pneus são capazes de se recompor de rasgos em até 10 minutos.

Galeria de Fotos

Circuitos se adaptarão ao clima e ao público. Pistops terão áreas com carregamento indutivo de baterias para os carros fotos Divulgação
Modelo terá motorização elétrica capaz de impulsioná-lo a 500 km/h Segundo a McLaren, os capacetes terão projeção no visor de informações coletadas em tempo real Divulgação
Segundo a McLaren, os capacetes terão projeção no visor de informações coletadas em tempo real Divulgação
MCLExtreme, conceito desenvolvido pela McLaren para o futuro da Fórmula 1 fotos Divulgação

Comentários