Brasil

Irmã de Aécio Neves é presa pela Operação Lava Jato

Andrea Neves foi encontrada em Belo Horizonte. Nesta manhã, agentes realizaram mandados de busca e apreensão no apartamento dela no Rio

Minas Gerais - Irmã do senador Aécio Neves (PSDB), Andrea Neves foi presa durante uma força-tarefa da Operação Lava Jato, nesta quinta-feira, em Belo Horizonte, em Minas Gerais. Ela é acusada de pedir dinheiro para Joesley Batista em nome do irmão, que recebeu R$ 2 milhões do empresário em entrega filmada e registrada. O dinheiro foi dada a Frederico Pacheco de Medeiros, primo de Aécio.

Andrea Neves foi presa em Minas Gerais Divulgação

Conhecido como Fred, ele teria sido filmado recebendo R$ 2 milhões a mando de Joesley Batista. Além dele, Menderson Souza Lima, assessor do senador Zezé Perrela (PMDB-MG) também foi preso. Todos foram citados na delação de Joesley. Em todos os casos os mandados são de prisão preventiva e foram autorizados pelo STF.

Nesta manhã, a Polícia Federal e do Ministério Público Federal (MPF) cumpriram mandados de busca e apreensão no apartamento de Andreia, em Copacabana, na Zona Sul do Rio, mas o local estava vazio.

Inicialmente, os agentes desconfiaram que ela estava em Londres e cogitaram acionar a Interpol. No entanto, ela foi encontrada por volta das 8h30, em Belo Horizonte. Os policiais também realizam a operação no apartamento de Aécio, no Rio de Janeiro; em uma fazenda e um imóvel do senador, em Minas, e no gabinete do parlamentar, em Brasília. 

Andrea Neves foi presa pela Lava Jato Reprodução Internet

Três procuradores e cinco policiais federais chegaram ao apartamento de Aécio, na Avenida Vieira Souto, em Ipanema, Zona Sul do Rio, por volta das 6h. No entanto, eles precisaram chamar um chaveiro para abrir a porta, já que não havia ninguém na residência. Às 8h25, os agentes saíram do prédio com documentos e não quiseram falar com a imprensa.

A PF e o MPF também foram ao endereço do contador Altair Alves, no Maracanã, Zona Norte do Rio. Ele é conhecido por ser ligado ao parlamentar e ao ex-presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha.

Os gabinetes de Aécio, Zezé Perrella e do deputado federal Rodrigo Rocha Loures, no Senado, em Brasília, também são alvos dos agentes. Em Minas Gerais, o presidente do PSDB tem um imóvel em Anchieta e uma fazenda no município Cláudio, no interior do estado.

Em vídeo, senador Zezé Perrella diz que nunca recebeu 'um real sequer' da JBS

O senador Zezé Perrella (PMDB/MG) disse, por meio de vídeo em sua conta oficial no Twitter, que "nunca recebeu, de forma oficial ou extraoficial, um real sequer" da JBS. "Nunca falei com Joesley Batista, dono da Friboi, não conheço ninguém desse grupo." E completou: "Estou absolutamente tranquilo."

Perrella é acusado na delação de Joesley Batista de ter recebido a propina pedida pelo senador Aécio Neves (PSDB/MG), que teria sido recebida pelo assessor parlamentar de Perrella, Mendherson Souza Lima, e posteriormente o valor teria sido depositado na conta de uma das empresas do senador do PMDB.

Perrella confirma no vídeo que Mendherson é seu assessor: "O assessor citado na matéria do jornal "O Globo" que informou sobre a delação realmente é meu assessor parlamentar e amigo pessoal do Fred Pacheco que é primo do senador Aécio. Eu espero que todas as pessoas citadas tenham oportunidade de esclarecer sua participação."

O senador do PMDB também disse que o sigilo das suas empresas citadas estão à disposição da Justiça, o que, segundo ele, vai comprovar que ele não tem participação na história delatada por Joesley Batista. "Nunca estive na Lava Jato e nunca estarei."

Com informações do Estadão Conteúdo

Relacionadas

    Comentários

    Mais lidas

      Escolha do Editor

        Newsletter

        Receba gratuitamente o melhor conteúdo de O DIA no seu e-mail e mantenha-se muito bem informado

        • Anuncie também pelo DIAFONE(21) 2532-5000
        Anuncie