Bolsonaro se preocupa em angariar votos na defesa de medidas polêmicas, diz consultor

Para Carlos Manhanelli, deputado não ganha eleição no 1º turno, como repete. 'Ele não vai ter votos suficientes'

Por Leandro Mazzini

Brasília - O estilo 'bélico' do candidato à Presidência Jair Bolsonaro (PSL) atesta que o deputado não está preocupado com 'o politicamente correto' e sim em angariar votos com da defesa de medidas polêmicas, em especial na área de segurança.

A análise é do presidente da Associação Brasileira dos Consultores Políticos, Carlos Manhanelli. "A questão, segundo ele, é: quem é a favor da pena de morte; quem é a favor de ter arma em casa para se defender de bandido? Pelo visto, tem dado resultado", avalia. Para Manhanelli, Bolsonaro não ganha eleição no 1º turno, como repete o candidato. "Ele não vai ter votos suficientes. Pode ir para o 2º turno e 2º turno é outra eleição".

Lula

Sobre Lula, Manhanelli afirma à Coluna que caso a Justiça impeça a candidatura do ex-presidente, a tendência é de pulverização dos votos do petista aos outros candidatos.

Voto pessoal

"As pessoas não são petistas, são lulistas. Não é um voto partidário, é um voto pessoal. Esse é o grande problema aqui no Brasil: as pessoas têm ídolos, deuses", pontua.

Voo tucano

O apoio dos partidos do Centrão deve alavancar a campanha do tucano Geraldo Alckmin, prevê o consultor: "Isso deve resultar na ascensão dele nas pesquisas".

Indicações políticas

O Senado vai retomar a discussão de um tema recorrente que não avança no Congresso: o fim da indicação política para os tribunais de contas do País. Com apoio de 30 colegas - governistas e da oposição -, a senadora Rose de Freitas (Pode-ES) defende na Prosposta de Emenda à Constituição (PEC 2/2018) composição majoritária dos tribunais por selecionados em concursos públicos de provas e títulos.

Práticas escusas

No texto da PEC que tramita na Comissão de Constituição e Justiça, a senadora sublinha: "Os sistemas de controle de contas públicas hoje existentes são absolutamente ineficazes, muitos contaminados, eles também, pela corrupção e pelas práticas criminosas mais escusas".

Alô?...

A despeito das contas no vermelho e do discurso de austeridade, uma das prioridades do Governo na volta do recesso do Congresso é aprovar mudanças na Lei Geral das Telecomunicações e conceder benefícios no valor de mais de R$ 100 bilhões às operadoras de telefonia.

...é presente!

O líder do Governo no Senado, Romero Jucá (MDB-RR), já tem assinaturas para o requerimento com pedido de urgência da votação. A proposta chegou a ser aprovada em 2016 por comissão especial no Senado e estava pronta para ser sancionada pelo presidente Temer. Mas, por ordem do STF, voltou à Casa para votação em plenário.

Tucano na gaiola

Ninguém da cúpula do PSDB mineiro visitou até hoje o ex-governador Eduardo Azeredo na cadeia em Belo Horizonte.

PT x Bicudo

Dilma Rousseff não divulgou e seu site uma linha sequer de pesar da morte de Hélio Bicudo, um dos fundadores do partido. O jurista pediu o impeachment dela.

Boate Kiss

Familiares das vítimas da boate Kiss - tragédia que provocou a morte de 242 jovens - aguardam há anos resposta da Justiça sobre pedido de federalização das investigações. Argumentam que existem irregularidades no processo que tramita na justiça gaúcha.

Comissão

O presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara, Luiz Lula Couto (PT-PB), em apoio às famílias, solicitou audiência e aguarda posição da procuradora-geral da República, Raquel Dodge: "Estamos juntos no agendamento de audiência com a procuradora-geral. Agimos de acordo com fundamentos do Regimento Interno da Câmara", afirma.

Cabo candidato

A ascensão meteórica com discurso retórico denunciante para todo lado levou Cabo Daciolo, deputado federal do Rio de Janeiro, ao estrelato dos '15 minutos' pelo Patriota. Após o partido perder o capitão Bolsonaro, investe no bombeiro Daciolo para presidente. O lançamento da candidatura é nesta semana.

Exemplo

Com oceanos cada vez mais poluídos por ação dos humanos – e tão perto o caso da Baía da Guanabara – a inclusão da disciplina e temática de conscientização ambiental na grade curricular dos ensinos público e privado do Estado do Rio de Janeiro é um exemplo a ser seguido nacionalmente