Temer não cumprirá promessa de terminar 7 mil obras paralisadas

O último balanço do Avançar, elaborado pelo Ministério do Planejamento, mostra que apenas 30,5% do total de projetos previstos foram concluídos até agora e "98,5% estão em andamento"

Por Leandro Mazzini

Brasília - A dois meses do fim do governo "tampão", o presidente Michel Temer não irá cumprir a promessa feita quando tomou posse em 2016, após o impeachment da ex-presidente Dilma (PT). Ele prometera concluir mais de 7 mil obras paralisadas no país.

Criou o programa Avançar, baseado no modelo do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), dos governos Lula e Dilma. O último balanço do Avançar, elaborado pelo Ministério do Planejamento, mostra que apenas 30,5% do total de projetos previstos foram concluídos até agora e "98,5% estão em andamento".

Avatar

Nos bastidores de Brasília, e do próprio governo, o Avançar, o PAC do Temer, é apelidado de 'Avatar'. Ficou na ficção.

Antecipados

Ciro, Alckmin e Marina já se telefonam desde a segunda-feira, para conversas sobre rumos do eventual segundo turno. Foi ideia de Ciro após o debate no SBT. Haverá reuniões.

'Centrão' de Bolsonaro

O anúncio do apoio da Frente Parlamentar Agropecuária à campanha de Jair Bolsonaro (PSL) escancara o abandono dos partidos do chamado Centrão à candidatura de Geraldo Alckmin (PSDB). Com atuação na Câmara e no Senado, a Frente é formada por 260 parlamentares. A grande maioria pertence a legendas como o PSDB, PP, DEM, PTB e PSD.

Frentão

Alguns destes vêm da frente suprapartidária de apoio a Bolsonaro, lançada por ele há dois meses, na Câmara Federal. Muitos são de partidos que têm candidatos ao Planalto.

Capitão da 'porteira'

A via Bolsonaro foi pavimentada pela presidente da Frente, deputada Tereza Cristina (DEM-MS), que chegou a ser cotada para vice de Alckmin. Durante almoço com parlamentares da Frente, há um ano, Bolsonaro disse que, caso seja eleito, entregará o Ministério da Agricultura de "porteira fechada" para o setor indicar técnicos. E vai fundir a pasta com o Meio Ambiente, vista como entrave em muitos projetos.

Resistência

Roberto Freire, presidente do PPS, disse a amigos que será difícil seu partido apoiar Bolsonaro. "Sempre lutei contra o fascismo", disse Freire, numa clara alusão ao candidato do PSL. Ele elogiou a manifestação 'Mulheres contra Bolsonaro'.

Polícia x fakes

A Polícia Federal vai montar um QG com delegados especializados em Brasília contra fake news no período de 1º a 8 de outubro, e de 22 a 29 - este em eventual 2º turno. A guerra virtual está feia. Estima-se um festival de inquéritos a partir de segunda-feira.

Patronais x trabalhadores

Panorama da polarização eleitoral: a classe patronal está com Bolsonaro, que promete manter a reforma trabalhista; os sindicatos de trabalhadores, com Haddad, contra.

Homem de palavra

Oscar Maroni, o dono do prostíbulo de luxo mais famoso do Brasil, o Bahamas, em SP, promete noitada grátis de muito prazer com suas colaboradoras se Bolsonaro ganhar em 1º turno. Folder circula no WhatsApp. Não conseguimos contato com o empresário, nem no site. Ele prometeu - e cumpriu - cerveja gratuita no dia da prisão de Lula da Silva.

A Menezes...

Os advogados Marcus Faver e Rafael Costa pediram ao juiz João Fantinato, da 34ª Vara Cível do Rio, que anule as doações que o vereador Cesar Maia fez de bens que possuía e estão em sua última declaração ao TRE. Cesar Maia foi condenado a pagar pelos serviços que contratou da produtora Full Time, do jornalista Mauricio Menezes.

...o que é de Cesar

A dívida é de 1998 e Cesar Maia foi condenado em todas as instâncias, mas não paga, segundo os advogados. E para evitar ter algum bem confiscado, ele 'doou' para conhecidos, inclusive apartamentos no Leblon e em São Conrado. Cesar Maia (DEM), pai do presidente da Câmara Federal, lidera a corrida para o Senado. Em resposta à Coluna, por e-mail, Cesar Maia foi lacônico: "Estranho. Vou me inteirar."

Bem lembrado

Quem lembra é Henrique Oliveira (PROS), que disputa novo mandato para a Câmara Federal: o povo (e os institutos também) está priorizando nos debates, no boca a boca e até nos grupos de zap o candidato a presidente, mas tão importante quanto é escolher o Parlamento. "Esquecem que, se não tiver um Congresso decente, não adianta presidente", pregando o voto útil para a Câmara.

Esplanadeira

O Terraço Shopping em Brasília promove Dia das Crianças Solidário de doação de brinquedos para o Centro Social Comunitário Tia Angelina.

 

Comentários