Padre Omar: a caminho da unidade

Caminhar exige uma conversão contínua de si mesmo

Por O Dia

Durante sua viagem a Suíça, o Papa Francisco pediu que todos se coloquem a caminho da unidade. Sim, o homem é um ser a caminho. Durante toda a vida é chamado a sair de onde se encontra: desde quando sai do ventre da mãe e vai passando de uma idade da vida a outra; desde que deixa a casa dos pais até quando sai desta existência terrena. O caminho é uma metáfora que revela o sentido da vida, que está sempre à procura de algo mais.

Mas caminhar em busca do que desejamos requer disciplina, causa cansaço. É necessária paciência e treinamento constante. É preciso renunciar a tantas estrada para escolher a que conduz à meta e mantê-la viva na memória para não se perder. Caminhar requer a humildade de rever os próprios passos, quando for necessário, e a solicitude pelos companheiros de viagem, porque só se caminha bem juntos.

Caminhar exige uma conversão contínua de si mesmo. É por isso que muitos desistem, preferindo a tranquilidade doméstica, onde pode cuidar dos seus negócios sem se expor aos riscos da viagem. Mas, assim, prende-se a seguranças efémeras, que não dão a alegria da conquista.

Deus, desde os primórdios, nos chama a caminhar. Pediu a Abraão para deixar sua terra, pondo-se a caminho. De igual modo, Moisés, Pedro e Paulo, e todos os amigos do Senhor viveram caminhando. Mas foi sobretudo Jesus que nos deu o exemplo. Por nós, saiu da sua condição divina e desceu para caminhar entre nós. Temos que caminhar no sentido certo, em direção a Deus.

 

Comentários