Transmitir a fé

Por Padre Omar

As palavras de Jesus são espírito e vida. São elas que nos sustentam em nossa caminhada. Hoje, o último domingo do mês de agosto, a Igreja celebra o Dia Nacional do Catequista, aqueles que se colocam a serviço para transmitir a Palavra de Deus. Esse é o chamado de todo cristão: transmitir, não apenas com os lábios, mas que todo o nosso proceder, em família e em comunidade, manifeste a fé que professamos.

Muitas vezes a caminhada na fé começa através das aulas de catequese, outras vezes, a avó, ou até um vizinho são os responsáveis por cuidar da vida espiritual das crianças. Mas é importante que os pais, ocupados com numerosos compromissos de trabalho, redescubram a beleza do seu papel na transmissão da fé aos seus filhos, sem esperar o catecismo na paróquia ou a participação na missa.

Transmitir a fé não significa dar informações, mas fundar um coração na fé em Jesus Cristo. Por isso, transmitir a fé não se pode fazer mecanicamente, e este é o desafio do cristão: ser fecundo ao disseminar a crença.

A fé deve ser transmitida de geração em geração, como um dom. E sempre no amor, não só com palavras, mas com ternura. Em síntese, o amor é a primeira atitude para a transmissão da fé, a outra, é o testemunho.

Segundo o Papa Francisco, é fato que o testemunho provoca a curiosidade no coração do outro, e o Espírito Santo pega nessa curiosidade e começa a trabalhar. Assim, a Igreja crê por atração, cresce por atração, e a transmissão da fé se dá com o testemunho. Que não só os catequistas, mas todos vivam a missão de menos falar e mais viver o Evangelho, pois, o que atrai as pessoas nãos são as palavras, mas a forma de ser e de viver. 

 

Padre Omar: é o Reitor do Santuário do Cristo Redentor do Corcovado. Faça perguntas ao Padre Omar pelo e-mail padreomar@padreomar.com. Acesse também www.padreomar.com e www. facebook.com/padreomarraposo

Comentários