Drible de Romário em Paes faz tempo de televisão aumentar

Aliados de Paes culpam o Solidariedade (SD) pelo revés de última hora, já que o apoio do PR ao ex-prefeito era tido como certo

Por PAULO CAPPELLI

Ex-jogador posa com blusa que exalta... Maricá
Ex-jogador posa com blusa que exalta... Maricá -

Rio - Ao levar o apoio do PR de Eduardo Paes (DEM), Romário conseguiu ontem viabilizar a sua candidatura ao governo do Rio. Mais do que ter o deputado federal Marcelo Delaroli (PR), de Maricá, como vice na chapa, o ex-jogador viu o seu tempo de propaganda na televisão aumentar consideravelmente. Aliados de Paes culpam o Solidariedade (SD) pelo revés de última hora, já que o apoio do PR ao ex-prefeito era tido como certo.

É que, além do vice na chapa, o PR pleiteava uma coligação ampla para eleger deputados federais. Paes fechara acordo com quatro partidos e aguardava resposta do SD. Ocorre que o SD, presidido no estado por Áureo Lídio, decidiu se coligar com PSDB e PPS e sem consultar Paes. A formação só com DEM, MDB, PP e PTB não agradou ao PR, que decidiu pular do barco. Um aliado do ex-prefeito lamenta: "Faltou solidariedade ao Solidariedade".

Provocação e resposta

Romário posou ao lado de Delaroli e, em provocação a Paes, vestiu camisa com o dizer "eu amo Maricá". O ex-prefeito do Rio, que criticou Maricá em grampo telefônico com o ex-presidente Lula, sentiu o baque e usou o Instagram para responder. Direcionou o ataque a Delaroli: "Fui fazer uma visita ao prefeito de Maricá, Fabiano Horta (do PT). E ele me disse com que companhias eu NÃO devia andar por lá." À coluna, um aliado de Delaroli rebateu: "O Paes já tem muitos adversários na campanha, não precisava comprar mais um".

Discussão pegou fogo

Paes e Laura Carneiro (DEM-RJ) discutiram feio na quarta-feira. A deputada federal disse que, com a coligação montada, o ex-prefeito priorizava a sua candidatura ao governo e prejudicava o DEM na disputa à Câmara. Paes levantou a voz. Ela também. Hoje com oito deputados em Brasília, o DEM deverá encolher ao menos pela metade.

Bandeira branca

O clima ruim entre Paes e Laura durou pouco. Nesta sexta, os dois já conversavam cordialmente.

Agenda a mil

Candidato ao Senado, o deputado estadual Flávio Bolsonaro (PSL) tomará café neste sábado com seis prefeitos do Centro-Sul fluminense. E com dezenas de vereadores da região.

Sem mudança de plano

Circula no meio político a informação de que, após o acidente aéreo envolvendo o pai, o deputado estadual Pedro Fernandes (PDT) desistiria de concorrer ao governo do Rio. Ele nega: "Sigo candidato".

Recorde

O Tribunal Regional Eleitoral do Rio espera receber este ano cerca de 3 mil registros de candidatura (a deputado estadual, federal, senador e governador).

Haja irregularidade!

O número de processos na Justiça Eleitoral do Rio ultrapassa 2.700. Para se ter uma ideia, é mais do que os encontrados nos estados de São Paulo e Minas Gerais.

Lazer

A Cervejaria de Janeiro e o Café do Alto fazem hoje a festa 'Por um agosto mais junino', no Circo Crescer e Viver, na Praça Onze. Ingresso a R$ 20.

Comentários