Governo do Rio gastará R$ 10 milhões com escolta para documentos do Detran

Contrato com empresa privada é referente a um ano de serviço. Órgão diz que segurança armada é necessária para evitar que documentos sejam clonados ou falsificados

Por PAULO CAPPELLI

Detran prevê gasto milionário para a escolta de documentos pelo estado
Detran prevê gasto milionário para a escolta de documentos pelo estado -

Rio — Em meio à crise financeira, o governo estadual vai contratar, por R$ 9.999.706,20, uma empresa privada para fazer a escolta de documentos do Detran pelo prazo de um ano. A convocação para o pregão eletrônico foi publicada no Diário Oficial e se refere à "coleta e entrega diária de malotes de documentos de segurança com motorista e vigilante armado exclusivamente para o Detran".

Para ilustrar: se a empresa a ser escolhida atuar em todos os dias úteis de 2019, receberá dos cofres públicos o equivalente a cerca de R$ 40 mil por dia de trabalho. Especialista em Segurança Pública, pós-graduado em Sociologia e ex-capitão do Bope, Rodrigo Pimentel contesta o gasto: "É um valor alto. Há mesmo necessidade de escolta armada para esse transporte? Houve alguma tentativa de assalto nos últimos oito anos, que é a série histórica? E cabe perguntar: o governo não poderia repassar esse dinheiro à Polícia Militar, que faria o serviço?"

Segue

Procurado pela Coluna, o Detran disse que não registrou nenhuma tentativa de assalto na última década — atribui o fato à aquisição da escolta no período. O órgão alega que a segurança armada é necessária para garantir que documentos não sejam clonados ou falsificados durante a locomoção pelos 92 municípios do Rio. E que não repassa os R$ 10 milhões à PM por entender que a escolta dos documentos não compete à corporação.

Segurança em pauta

Candidato ao governo, o senador Romário (Podemos) se encontrará depois de amanhã, às 10h, com o general Braga Netto, interventor federal responsável pela Segurança no estado. Levará a tiracolo o seu vice, Marcelo Delaroli (PR), ex-PM. Romário elegeu a Segurança como o tema prioritário de sua campanha.

Psol só?

Por conta de um problema na prestação de contas à Justiça Eleitoral, o PCB-RJ pode ser impugnado e ficar de fora da chapa do Psol na corrida ao governo. Com isso, Tarcísio Motta (Psol), que conta com apenas oito segundos de propaganda na TV, teria o seu tempo reduzido em quase um segundo. A definição sairá ainda esta semana.

Cargo ou ideologia?

Ontem, ao ver recusado projeto de lei de sua autoria que limitaria despesas da prefeitura com diárias no exterior, o vereador Tarcísio Motta voltou a artilharia para Jairinho (MDB), líder do governo Crivella (PRB): "Você também era líder no governo Paes (DEM). Não interessa o prefeito, o seu negócio é ser líder", esbravejou o oposicionista.

É hepta!

A 'Exito's' conseguiu o seu sétimo (eita!) aditivo com a Câmara Municipal desde o contrato original em 2012 — a publicação foi feita no Diário Oficial de ontem. Desta vez, o valor foi reajustado em 25%, gerando despesa de R$ 470 mil aos cofres públicos. O êxito da empresa em obter contratos com o Parlamento para prestar serviços de informática é investigado pelo Ministério Público do Rio desde publicação do Informe no ano passado.

Futuro incerto

O candidato ao governo Anthony Garotinho (PRP) quer ver o filho Wladimir Garotinho (PRP) na disputa à Câmara dos Deputados, mas a presidente do PRP-RJ, Eliane Cunha, não confirma a candidatura do rapaz: "Prefiro não comentar."

Ex-prefeito de Cabo Frio

José Bonifácio Novellino será o candidato do PDT-RJ ao Senado.

Comentários