Flávio Bolsonaro pede votos para três candidatos ao governo

No sábado, foi a vez de o jovem político, em comício, rasgar elogios a Eduardo Paes (MDB), a quem chamou de "governador"

Por PAULO CAPPELLI

Oficialmente, o clã Bolsonaro não apoia nenhum candidato ao governo do Rio. Mas o representante fluminense da família nestas eleições, Flávio Bolsonaro, postulante ao Senado, acrescentou nova figurinha ao seu álbum e já pediu voto para três (!) pretendentes ao Palácio Guanabara.

No sábado, foi a vez de o jovem político, em comício, rasgar elogios a Eduardo Paes (MDB), a quem chamou de "governador". Como a Coluna mostrou, no dia 31 de agosto, Flávio também pediu votos para a chapa de Romário (Podemos), em evento com o vice do ex-jogador, Marcelo Delaroli, em Maricá: "Precisamos combater esse sistema velho e corrupto. Com Delaroli no governo do estado, Maricá nunca mais será a mesma!", bradou. Já no último dia 22, Flávio andou de mãos dadas na Baixada com Wilson Witzel, candidato ao governo do PSC.

Flávio Bolsonaro e Witzel - Divulgação

Samba do trabalhador

No sábado, por sua vez, Flávio enalteceu a "competência" e o "gabarito" de Eduardo Paes: "Acho que ninguém pode falar (reclamar) da sua vontade de trabalhar. Todos nós percebíamos a sua vontade e alegria de estar na prefeitura", afagou. O vídeo foi divulgado ontem pela jornalista Berenice Seara, do jornal 'Extra'.

Caso de Justiça

Julgado inelegível e impedido de fazer campanha desde a última sexta-feira pelo TSE, Anthony Garotinho (PRP) nega que cogite apoiar outros candidatos: "Não existe essa hipótese. Estou confiante de que meu recurso será julgado amanhã (hoje). As pesquisas me colocam no segundo turno."

Apoio virtual

Ministro da secretaria de Governo de Michel Temer (MDB), Carlos Marun (MDB) gravou vídeo em apoio à candidatura de Danielle Cunha (MDB), filha de Eduardo Cunha, condenado e preso na Lava Jato. Na gravação, postada no Twitter de Eduardo e Danielle Cunha, Marun se confunde e a chama de 'Daniela'.

Carona na popularidade

Há uma articulação na Igreja Universal do Reino de Deus para, nesta reta final, pregar o segundo voto ao Senado em Flávio Bolsonaro. A estratégia é, com isso, associar o nome deste ao de Eduardo Lopes (PRB), candidato da igreja.

Diversidade

Paulo Gontijo (PPS) foi à parada LGBTI em Copacabana. "Não é possível se dizer liberal sem total respeito às liberdades individuais", disse o postulante a deputado estadual, que deixou o PSL quando Jair Bolsonaro entrou.

Japa na campanha

Conhecido como "Japonês da Federal", Newton Ishii estará no Rio de Janeiro nesta terça-feira, exclusivamente para fazer caminhada com o vereador e agente federal Sandro Araújo (PPS). Presidente da CPI das Milícias de Niterói e já ameaçado de morte, Sandro Araújo é candidato pela Frente de Agentes da PF para o Congresso Nacional. Ishii se aposentou há pouco tempo.

Comentários