Denise Frossard pede voto para Anastasia e Alckmin

Ex-juíza federal é grande estrela do PPS, mas não apoiou candidatura de Paes ao governo do Rio

Por PAULO CAPPELLI

Denise Frossard
Denise Frossard -

Rio - Grande estrela do PPS no Rio, Denise Frossard, que chegou a ser apontada como a candidata do partido ao governo do Rio, decidiu deixar a política de lado em 2018 para, literalmente, escalar montanhas. O PPS, então, acabou indicando Comte Bittencourt para ser vice na chapa de Eduardo Paes (DEM).

Mas a ex-juíza federal não está assim tão afastada da eleição. Ontem, postou no Facebook foto em algum pico da Europa para pedir voto para o candidato ao governo de... Minas Gerais. "(Antonio) Anastasia 45!", escreveu. Já no último sábado, postou mensagem de apoio ao presidenciável Geraldo Alckmin (PSDB). Sobre Paes, nada.

A ciranda de Ciro

Em terceiro lugar nas pesquisas à Presidência, Ciro Gomes (PDT) pretende intensificar, nesta reta final de campanha, o "combate ao radicalismo" que se dá com a polarização entre Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT). Presidente do PDT nacional, Carlos Lupi explica a estratégia: "A ideia é bater nos dois lados dessa radicalização e reforçar que o Ciro é a alternativa."

Caindo a ficha

Sobre o pouco tempo até a votação e a considerável vantagem de Haddad nas pesquisas, Lupi avalia: "A eleição está totalmente em aberto. Agora é que está caindo a ficha do povo de que a decisão nas urnas é domingo".

Opinião

O vice-governador Francisco Dornelles (PP) afirma que a palavra "privatização", tão usada para definir o futuro da Cedae no acordo de recuperação fiscal com a União, é mal empregada. "Ninguém quer a privatização da Cedae, até porque esse monopólio não interessaria nem mesmo ao setor privado. Queremos que a Cedae permaneça dona da água. O que ocorreria é que a Cedae, por meio de concessão, deixaria a cargo de empresas privadas a distribuição e a comercialização da água."

Segue

A modelagem (reestruturação) da Cedae ainda é elaborada pelo BNDES.

E ainda tem isso...

Como o Informe revelou, a Assembleia Legislativa derrubará o veto de Pezão em novembro e vai retirar a Cedae do acordo de recuperação com o governo federal.

O juiz e a Constituição

Candidato ao governo e ex-juiz federal, Wilson Witzel (PSC) promete "botar os presidiários para trabalhar". A Constituição Federal, porém, veda a pena de trabalhos forçados. Procurado, Witzel embasou sua proposta: "Hoje, a cada três dias trabalhados, os presos têm a pena reduzida em um dia. Mas muitos juízes concedem a remissão de pena mesmo sem o efetivo trabalho, quando, por exemplo, alega-se que o presídio não oferecia condições para trabalho. Quero criar formas de trabalho em todos os presídios, até mesmo para o preso bancar o seu custo ao estado".

Deu em Chico e Francisco

Dois postulantes ao governo do Rio, rivais ferrenhos, reclamam de um mesmo fator: interferência do Judiciário na eleição.

Matemática vive

Sabe a resolução do Conselho Nacional de Educação que permitiria a retirada de matérias como Matemática da grade curricular dos cursos de Engenharia? Presidente da Câmara de Ensino Superior do CNE, Antônio Freitas garantiu ao secretário estadual de Educação, Wagner Victer, que isso não vai ocorrer.

Comentários