No Minas, novos desafios motivam Gabi depois do Mundial

Ponteira fala sobre a tristeza da eliminação no Japão com a Seleção e sobre os objetivos com a equipe mineira

Por O Dia

A ponteira Gabi, do time de vôlei do Minas
A ponteira Gabi, do time de vôlei do Minas -

A frustração com o sétimo lugar no Mundial do Japão foi difícil de digerir e Gabi não escondeu a tristeza após o jogo contra as donas da casa que marcou a eliminação da seleção brasileira. Mas a ponteira de 24 anos está disposta a usar o aprendizado parar virar a página e dar a volta por cima, começando pela temporada de clubes pelo Minas. “Foi bem difícil. Fiquei muito triste. Tive um período de folga para pensar e analisar o que aconteceu e quero usar isso como combustível. Já queria voltar a treinar e malhar com as meninas para virar essa página. Tenho que transformar essa eliminação em motivação. Serviu como lição para vermos os erros que não podemos cometer e no que precisamos evoluir. O time todo sentiu”, conta Gabi.

A ponteira Gabi festeja o acerto com o Minas, onde voltará a jogar com Natália - Orlando Bento/ Minas Tênis Clube/ Divulgação

Mineira, a ponteira começou a carreira no Mackenzie e está de volta a Belo Horizonte depois de seis temporadas no Rio sob o comando de Bernardinho: “O desafio é a adaptação, depois de sair de um processo de seis anos num time que já tem uma forma de jogar. Estou muito feliz com esse desafio e espero um amadurecimento muito grande, aprendendo coisas diferentes”.

 

DUPLA REEDITADA COM NATÁLIA

No Minas, Gabi tem a chance de reeditar a dupla com Natália, que estava no vôlei turco. As duas foram companheiras no Rio. “Sempre brincávamos que queríamos voltar a jogar juntas”, conta Gabi. Campeão do último Sul-Americano de clubes, o Minas está garantido no Mundial, que será disputado em dezembro, na China. A estreia na Superliga será no dia 16 de novembro, contra o Brasília, fora de casa. “Cada temporada é diferente, é difícil comparar. Temos grandes objetivos. O Mundial será um dos mais difíceis, com as melhores jogadores e as esquipes que se reforçaram muito. Na Superliga, é difícil apontar um grande favorito. Primeiro, temos que buscar o equilíbrio como equipe”, comenta Gabi.

Galeria de Fotos

A ponteira Gabi, do time de vôlei do Minas Orlando Bento/ Minas Tênis Clube/ Divulgação
A ponteira Gabi festeja o acerto com o Minas, onde voltará a jogar com Natália Orlando Bento/ Minas Tênis Clube/ Divulgação