CNseg premia iniciativas inovadoras no Copacabana Palace

O Prêmio Antonio Carlos de Almeida Braga vai selecionar os melhores cases nas categorias Produtos e Serviços, Processos e Tecnologia e Comunicação

Por Herculano Barreto

Vencedores da edição de 2017 do Prêmio de Inovação em Seguros, organizado pela Confederação Nacional das Seguradoras
Vencedores da edição de 2017 do Prêmio de Inovação em Seguros, organizado pela Confederação Nacional das Seguradoras -

Rio - O setor segurador encerra o ano com um evento que vai premiar as iniciativas inovadoras no segmento. Nesta quarta-feira, no Copacabana Palace, o Prêmio Antonio Carlos de Almeida Braga de Inovação em Seguros, promovido pela Confederação das Seguradoras (CNseg), vai anunciar os vencedores em três categorias: Produtos&Serviços, Processos&Tecnologia e Comunicação. A iniciativa foi criada em 2011 para reconhecer a capacidade criativa dos securitários, corretores de seguros e prestadores de serviços.

A SulAmérica Seguros está entre os finalistas em cinco projetos. O Bradesco Seguros tem três propostas na final. Seguradora Líder, Tokio Marine Seguradora, SindSeg MG/GO/MT/DF, San Martin Corretora de Seguros, Zurich Minas Brasil, BrasilCap Capitalização e Unimed Seguradora completam a lista das empresas finalistas.

No ano passado, o case 'Campanha de Compensação de CO2', do Grupo Segurador Banco do Brasil e Mapfre, levou o prêmio em Comunicação. 'Seguro Equipamentos de Mobilidade', da Sompo Seguros, ficou em 1º lugar em Produtos e Serviços. A campanha 'Reembolso Digital', da SulAmérica Seguro Saúde, venceu na categoria Processos e Tecnologia. Ao lado, a foto dos vencedores.

Novas possibilidades

As oportunidades de negócios geradas a partir da implementação do Instrumento de Garantia, modalidade do título de capitalização, não se limitam à garantia para aluguel de imóveis residenciais e comerciais. Com a nova regulamentação, esse tipo de produto também pode servir como garantia para empréstimos, contratos de obras e até Judiciária. "Os títulos de capitalização podem servir como lastro para vários tipos de operações financeiras", afirmou Carlos Alberto Corrêa, diretor-executivo da Federação Nacional de Capitalização (FenaCap).