Presidente eleito da FenaSaúde projeta crescimento de planos de saúde

João Alceu de Amoroso Lima assumiu a presidência da federação nesta quarta-feira. Ele prevê crescimento de planos de saúde neste ano

Por Bernardo Costa

proteção plano de saúde
proteção plano de saúde -

O novo presidente da Federação Nacional de Saúde Suplementar (FenaSaúde), entidade que representa operadoras de planos de saúde privados, toma posse nesta quarta-feira para um mandato de três anos. João Alceu de Amoroso Lima assume em um momento de retomada na aquisição de planos de saúde no país após sucessivas quedas de beneficiários desde 2014. Para ele, mesmo que o crescimento no último ano tenha sido tímido — foram 44.752 novos segurados diante de uma perda de 3 milhões de beneficiários nos últimos três anos — o dado sinaliza que 'bons ventos estão por vir'.

"O mínimo que podemos esperar para os próximos anos é que as pessoas que degustaram os planos de saúde privados e perderam a cobertura voltem a contratar o serviço nos próximos anos", estima João Alceu de Amoroso Lima.

O otimismo tem relação direta com a retomada da economia e das contratações no mercado de trabalho formal. Segundo Amoroso Lima, a relação é direta, já que cerca de 70% dos beneficiários estão inseridos na modalidade de planos coletivos empresariais, oferecidos pelas empresas como benefício aos seus colaboradores.

Segundo a FenaSaúde, a projeção positiva de retomada seria de 1 milhão de novos beneficiários por ano até 2021. Para estimular essa recuperação, a FenaSaúde elaborou o estudo 'Desafios da Saúde Suplementar 2019', com sugestões de iniciativas para ampliar o acesso da população a serviços médicos de qualidade. O documento foi entregue ao ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta.

Dentre os pontos abordados, Amoroso Lima destaca que um dos principais se refere a mudanças nas regras de precificação e reajuste dos custos para que os planos tenham preços mais acessíveis. O combate a fraudes, aponta, também é fundamental nesse processo.

"O aumento de preços é uma preocupação geral do setor. Ao contrário do que as pessoas pensam, o valor elevado dos planos de saúde não interessa às operadoras. Mas os custos são caros. E a adoção de tecnologias, com inclusão de novos remédios e tratamentos no rol da ANS, é uma das saídas, pois há casos de necessidade de importação de insumos para atender os clientes", diz.

FENSEG DIVULGA PROJEÇÃO POSITIVA

A Federação Nacional de Seguros Gerais (FenSeg) também terá troca na gestão. Amanhã, Antonio Trindade assume o cargo de presidente. A entidade também prevê expansão de serviços com a retomada da economia, especialmente nos ramos de seguro de automóveis e contra riscos cibernéticos.

Comentários