Adversários no 2º turno do Rio, Paes e Witzel focam na Segurança

Candidatos querem mudanças nas horas extras e pretendem alterar forma de trabalho dos policiais

Por PALOMA SAVEDRA

Candidato do PSC, Wilson Witzel, e do DEM, Eduardo Paes, concorrem ao governo estadual no segundo turno
Candidato do PSC, Wilson Witzel, e do DEM, Eduardo Paes, concorrem ao governo estadual no segundo turno -

Postulantes ao governo do Rio que se enfrentarão no segundo turno, Eduardo Paes (DEM) e Wilson Witzel (PSC) já afirmaram em entrevistas à Coluna, na semana anterior à eleição do último domingo, que pretendem manter o Regime de Recuperação Fiscal. Mas, além da questão da economia, ambos focam na Segurança em seus projetos.

Os dois candidatos tocam no tema das horas extras (Regime Adicional de Serviço, o RAS) dos agentes. Paes quer aumentar o valor do RAS pago aos policiais militares para aumentar o efetivo de pessoal nas ruas. Já o candidato do PSC pretende acabar com a obrigatoriedade da hora extra. 

Witzel também fala em reposição de cargos em casos de vacância (quando há vagas em decorrência de aposentadoria ou falecimento) na área. E o ex-prefeito do Rio defende abertura de concurso público.

Perguntado como colocaria mais policiais nas ruas, Paes disse: "Aumentar o valor do RAS para o policial, que hoje não pagam, é uma ideia minha. E pagar em dia. E fatalmente vai ter que chamar concursados e fazer concursos".

Witzel manifestou intenção de implementar o sistema de vigilância eletrônica. Segundo ele, isso vai "reduzir o desgaste" do agente: "Assim, poderemos fazer uma escala mais humana, acabando com o RAS compulsório".

Comentários

Últimas de Servidor