'Água e esgoto para todos até 2030'

Para colocar em prática um dos 17 objetivos da ONU, Rio sediará mega evento de debate em novembro

Por ANGÉLICA FERNANDES

No Brasil, o esgoto gerado por 45% da população não é tratado. O retrato da falta de saneamento está na Baía de Guanabara, na Praia do Galeão
No Brasil, o esgoto gerado por 45% da população não é tratado. O retrato da falta de saneamento está na Baía de Guanabara, na Praia do Galeão -

Rio - O Riocentro, do dia 26 a 28 de novembro, foi o palco escolhido para debater um dos temas mais importantes do mundo, sobre água e saneamento básico. O Rio Water Week Semana da Água do Rio vai reunir desde universitários até representantes de órgãos públicos internacionais para tratar do grande desafio estabelecido pela Organização das Nações Unidas (ONU): água e esgoto para todos até 2030.

A partir dessa premissa, que integra os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), a Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental (Abes), responsável pelo evento, estabeleceu nove temas, com 45 sessões e a presença de mais de 100 entidades, para discutir e despertar a atenção da sociedade sobre a universalização da água e do esgoto. No Brasil, atualmente, segundo estudo da Agência Nacional de Águas (ANA), o esgoto gerado por 45% dos brasileiros não recebe qualquer tipo de tratamento.

"Com esse evento, queremos colocar o Brasil no primeiro plano nessa luta mundial. Fizemos muito pela água, mas ainda temos um difícil caminho a percorrer com relação ao esgoto", destacou Carlos Rosito, vice-presidente da Abes e coordenador da programação temática do Rio Water Week.

O congresso será nos moldes do Fórum Mundial da Água, que neste ano foi realizado em Brasília. "A ideia é discutir propostas para chegar em fórmulas inovadoras. É ver o que deu certo e o que deu errado em outros países também", disse Rosito, que acrescenta um dado alarmante: "dos 5.570 municípios brasileiros apenas 236 estão universalizados (com abastecimento em 100%) em água e esgoto, ou seja, só 7% da população urbana", completou.

Ao fim do evento, um documento será desenvolvido, de maneira didática, com todas as propostas debatidas. O relatório ficará público. O objetivo da Abes é realizar o encontro a cada dois anos para que seja feito um balanço e o monitoramento de cada ação definida pelo congresso. A inscrição para o Rio Water Week já está disponível no site: riowaterweek.com.br. Os valores variam de R$ 175 a R$ 1,2 mil.

Palestrantes internacionais

No time de palestrantes da Rio Water Week estão nomes de peso da área de saneamento básico e água, como a diretora da San Francisco Water Power Sewer (Califórnia), Paula Kehoe, que coloca em prática soluções criativas para lidar a escassez de água. Representantes de Singapura, na Ásia, vão contar a experiência de ser o primeiro país no mundo a executar reuso da água, o que impacta também na economia.

Os congressistas vão poder conferir ainda palestras de entidades do Chile, que já universalizou água e esgoto, além da Espanha, Argentina e África do Sul.

Além do tema 'Água e esgoto para todos até 2013', o evento terá discussões sobre 'Governança e planejamento', Gestão Eficiente', 'Formação e Capacitação', 'Financeamento', 'Monitoramento e relatório do ODS 6 (da ONU)', 'Regulação', 'Comunicação e tecnologia da informação' e 'Mudanças climáticas e água'.

Uma expo feira, com área integrada à plenária do evento, que permitirá interação com congressistas, ficará à disposição no Riocentro.

Galeria de Fotos

No Brasil, o esgoto gerado por 45% da população não é tratado. O retrato da falta de saneamento está na Baía de Guanabara, na Praia do Galeão Estefan Radovicz/Agência O Dia
Rio Water Week será nos moldes do Fórum da Água, com várias ações REPRODUÇÃO

Comentários