Nova área verde no Centro de Niterói

Prefeitura quer transformar 62 hectares em parque natural, com reflorestamento e proteção ambiental

Por O Dia

Niterói pretende transformar a Área de Proteção Ambiental (APA) da Água Escondida em um parque natural
Niterói pretende transformar a Área de Proteção Ambiental (APA) da Água Escondida em um parque natural -

Rio - A Área de Proteção Ambiental (APA) da Água Escondida, em plena Zona Central de Niterói, deve virar um parque natural. A prefeitura vai enviar à Câmara de Vereadores, no dia 19 de fevereiro, o projeto para a criação do novo espaço verde, para se juntar aos 22,5 milhões de m² de áreas protegidas no município. A meta é ampliar a proteção das nascentes, da flora local e do patrimônio histórico da região.

Com mais de 62 hectares, o futuro Parque Natural Municipal da Água Escondida será a maior área protegida da parte central da cidade, que abrange ainda os bairros de São Lourenço, Cubango, Fonseca, Fátima e Pé-Pequeno. Com a criação do novo espaço, a prefeitura pretende desenvolver um plano de manejo de toda a região e o reflorestamento do Morro da Boa Vista.

A área receberá melhorias em toda a infraestrutura, segundo o município, com demarcação de trilhas e a criação de um centro de visitantes. Também está prevista a reforma das ruínas históricas da antiga Chácara do Vintém, de 1837, formada por um aqueduto, caixas de depuração e canalizações.

"A região fica bem na parte central da cidade, onde já temos um projeto de reflorestamento em andamento, no Morro do Boa Vista. Além do aspecto ambiental e paisagístico, essa área tem uma bagagem histórica muito grande, com um potencial turístico significativo", destacou o secretário Executivo, Axel Grael.

Niterói tem ainda outras duas unidades de conservação: o Parque Municipal de Niterói (Parnit) — com extensão de 16,3 milhões m² que abrange o Morro da Viração e o Parque da Cidade — e o Parque Estadual da Serra da Tiririca (Peset). De acordo com a prefeitura, o Parnit já tem plano de manejo, e uma rede com com 16 trilhas, como a Tupinambás, Trilha dos Eucaliptos e Morro da Viração via Parque da Cidade.

Toda a fauna dessa região verde é controlada pela Coordenadoria Ambiental da Guarda Municipal, que resgata animais silvestres e domésticos. Quando estão feridos, os bichos vão para instituições especializadas. Do contrário, são reintegrados ao seu habitat. Em janeiro, uma capivara resgatada no bairro de São Domingos foi reintegrada à natureza na área do Parque Estadual da Serra da Tiririca. Em 2018, a Coordenadoria resgatou 1.287 animais silvestres e domésticos.

R$ 2,9 milhões em restauração

Neste ano, uma área de mais de 2 milhões de m² no município será reflorestada, com investimento, sem

necessidade de reembolso, do BNDES. O investimento de R$ 2,9 milhões, segundo a prefeitura, será para o

reflorestamento das ilhas Menina, Mãe, Pai e do Veado, além da área costeira, todas na Região Oceânica.

A Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) estima que, em média, existem 123,2 m² de áreas verdes para cada niteroiense. De acordo com a Organização, trata-se provavelmente da maior proporção de zonas protegidas per capita em todas as regiões metropolitanas do Brasil.

Nos últimos cinco anos, a Prefeitura de Niterói já plantou mais de 50 mil mudas em bairros da cidade. No Morro do Boa Vista, área que recebe o principal investimento em reflorestamento na cidade, são cerca de

10 hectares plantados. Até 2020, serão 22,5 hectares recuperados no morro, que faz parte do futuro Parque Municipal da Área Escondida.

Galeria de Fotos

Niterói pretende transformar a Área de Proteção Ambiental (APA) da Água Escondida em um parque natural DIVULGAÇÃO
Niterói pretende transformar a Área de Proteção Ambiental (APA) da Água Escondida em um parque natural DIVULGAÇÃO
Morro da Boa Vista terá plano de manejo para recuperar degradação DIVULGAÇÃO

Comentários