'Amo dançar e cozinhar', diz Bianca Monteiro, rainha de bateria da Portela

Passista também revelou que vai fazer uma tatuagem com o samba enredo que consagrou a Azul e Branca como a campeã do Carnaval 2017

Rio - Bianca Monteiro é pé-quente. A rainha de bateria da Portela, escola campeã do Carnaval carioca com o enredo ‘Quem Nunca Sentiu o Corpo Arrepiar ao Ver Esse Rio Passar’, foi elogiada pelos integrantes da agremiação e pelo público por sua performance na avenida. A estreante no posto foi exaltada até pela Velha Guarda. “O mestre Monarco disse que eu trouxe sorte para a escola”, conta Bianca. Reinando à frente da bateria, ela contribuiu para que a Azul e Branca de Madureira quebrasse um jejum de títulos de 33 anos. “Tenho 28 anos, frequento a quadra desde bebê com meu pai, diretor de harmonia. Sonhava em ver esse título”, conta.

Bianca Monteiro, rainha de bateria da Portela Marcio Mercante / AG. ODIA

Ela revela ter feito até promessa pedindo pelo campeonato, e garante que vai cumprir. “Vou fazer uma tatuagem. E vai ser a minha primeira. Será uma parte da letra do samba. Na costela, para sentir dor mesmo, para lembrar. Nada é fácil. Tudo vem com esforço”, reconhece.

Bianca Monteiro posa em frente a entrada do Parque Madureira Marcio Mercante / AG. ODIA

Nascida e criada em Madureira, onde vive até hoje, Bianca sonhava em ser ‘Rainha’ desde os 13 anos, quando começou a desfilar. “Comecei na Portela na Ala das crianças e depois virei passista. Há 16 anos que desejo estar à frente dessa bateria. É o sonho de toda passista. Só ia sossegar quando conseguisse. É uma honra e uma emoção indescritíveis”, conta. “Me preparei muito. O mestre Nilo Sergio (mestre de bateria) esteve o tempo todo me orientando. É muita responsabilidade representar a nação portelense, a comunidade. Ali na bateria está o coração, e o meu bate pela escola. Ser portelense é uma paixão. Colocamos a alma ali e a resposta veio: somos campeões!”, comemora.

‘Saber sambar bem é obrigação. É preciso ter garra e trazer o público com você. Acredito que consegui fazer isso’ Bianca Monteiro, Rainha de bateria da Portela

Ela diz que seu reinado continua e que já se prepara para 2018. A soberana opina que, para ocupar o posto de rainha, é preciso mais do que samba no pé e simpatia. “Tem que ter paixão e se emocionar. Saber sambar bem é obrigação. Precisa ter garra e trazer o público com você. Acredito que consegui fazer isso. Sei que tenho muito para aprender, mas acho que para o primeiro ano dei conta”, afirma a ‘Rainha’, que também deseja ser chef: “Começo a faculdade de gastronomia este ano. Quero ter meu restaurante. Duas coisas que amo: dançar e cozinhar. São atividades em que você tem que colocar o coração inteiramente”.

Rainha de bateria vai tatuar enredo da Portela 2017 Marcio Mercante / AG. ODIA

MADUREIRA EM ALTA

A dançarina conta que o Parque Madureira, onde posou para as fotos desta edição, é um dos locais que frequenta. “Adoro esse astral do Parque, corro aqui. E quinta e domingo tem uma roda de pagode. Mais à frente, tem hip hop”, ensina.

Bianca dá dicas para quem quer curtir Madureira. “Tem as opções de entretenimento, as culturais, os lugares bons para comprar. Tem o baile charme no viaduto (Negrão de Lima) que, para quem gosta de dançar como eu, é um programaço. Tem a ‘Doca’ (Pagode da Tia Doca), que é um lugar de samba de raiz”.

Detalhe do chapéu da Portela Marcio Mercante / AG. ODIA

Ela compra roupas nas lojas da Estrada do Portela (ao lado do Madureira Shopping) e artigos para festas no Mercadão de Madureira. “Você encontra o que precisar. No Mercadão, compro desde bolas de aniversário até velas para agradecer as conquistas”, conta. “O bairro tem de tudo. Se quiser, não saio daqui para nada”.

Créditos:
Produtora: Mari Rogick
Vestidos: Blue Shop

Relacionadas

    Comentários

    Mais lidas

      Escolha do Editor

        Newsletter

        Receba gratuitamente o melhor conteúdo de O DIA no seu e-mail e mantenha-se muito bem informado

        • Anuncie também pelo DIAFONE(21) 2532-5000
        Anuncie