Axé toma conta da noite alternativa carioca

Hits de É O Tchan, Ivete Sangalo, Claudia Leitte e Psirico fazem todo mundo pular em festas descoladas e alternativas no Rio

Por O Dia

Rio - O axé agora é indie. Ganha mashups — aquelas mixagens de duas ou três músicas — e toca em eventos de gente descolada como se fosse o mais novo sucesso do The Killers. E sem desapegar do rock, já que festas como a Tropicolé (que rola quarta na Casa da Matriz, na pista 2 do Karaokê Indie) e a Chá da Alice (cuja edição de Carnaval vai para a lona do Circo Voador na sexta) promovem uma saudável mistura que insere no contexto pop músicas de nomes como Jammil E Uma Noites e É O Tchan.

Especializada em mashups, a festa Bootie tem edição de Carnaval na Fosfobox na sexta. Lança amanhã no site Soundcloud o álbum ‘The Edge of Lepo Lepo’, com a mistura de ‘Lepo Lepo’, do grupo baiano Psirico, com ‘The Edge Of Glory’, de Lady Gaga. O DJ Fabiano Moreira insere também ‘Esse Nego Charmoso’, recriação axé de ‘This Charming Man’, dos Smiths, com o balanço do baiano É O Tchan.

O grunge do Nirvana se encontra com o batuque do Olodum em ‘Smells para Dançar’. “Temos mashups de axé e de arrocha. Tem um que mistura Ivete Sangalo com Shakira e Rihanna. Os gringos ouvem e piram no nosso ‘brazilian flavour’, como eles dizem”, exemplifica Fabiano.

Festa Tropicolé%2C que acontece na Casa da Matriz, em BotafogoI Hate Flash/ Divulgação

Com mais de 50 mil audições no Soundcloud, ‘Esse Nego Charmoso’ é criação do produtor musical paulista Rafael Bertazi. Ele já unira ‘Na Boquinha da Garrafa’, da Companhia do Pagode, com ‘Killing In The Name’, do Rage Against The Machine — nascia aí ‘Revoltinha da Garrafa’. Ambas fazem parte da série ‘Axé Bahindie’, lançada por ele. Bertazi admite que o humor é que comanda. “Na época, era pejorativo, ninguém aguentava mais bunda na TV. Hoje, veem por um viés engraçado. É a minha geração vomitando de volta o axé”, anuncia Bertazi.

Bom humor, por sinal, é a tônica do próprio Tchan — que pede “desculpas pelo Carnaval de 1995” (auge do sucesso do grupo) na propaganda de um saquê, virou meme numa sátira do cartaz do filme ‘Ninfomaníaca’, de Lars Von Trier, e percorre o Brasil com o sucesso ‘Pá Pum’. “Queremos ir ao Rio!”, exclama o vocalista Compadre Washington.

Acompanhado do parceiro Beto Jamaica e de duas novas meninas (as morenas Joyce Mattos e Elisângela Pereira), Compadre faz “trabalho de formiguinha” para bombar de novo o grupo. Que hoje é (olha só), ‘indie’ de fato, sem gravadora. “Mas nunca deixamos de fazer show</CW>”, diz. Washington adorou o mashup de Bertazi, por sinal. “Uma fã me mandou e achei maravilhoso. É um bom reconhecimento saber que tem gente do rock dançando as nossas músicas!”

Netinho puxando o bloco da festa Chá da AliceDivulgação

Chá da Alice e Tropicolé também avisam: entre outras vertentes do pop, o axé figura feliz da vida. “Já levamos É O Tchan para o Circo Voador e Netinho foi nosso puxador de bloco”, diz o ator Pablo Falcão, criador da primeira. “Nunca quisemos fazer uma festa cool, só para um tipo de pessoa.” Luiz Jeveaux, ou G-Vô, da Tropicolé, divide espaço com uma galera a fim de soltar a voz com hits do pop rock no Karaokê Indie. “Botamos até piscina na área de fumantes da Matriz e teve biscoito Globo. Tocamos pérolas como ‘Arerê’, da Ivete Sangalo, e ‘Caranguejo’, da Claudia Leitte. Nessa, tem sempre alguém que cai no chão!”, brinca.

Lepo Lepo: Um hit na cola de ''Ai, se eu te pego''

Lepo Lepo’, novo hit do Psirico e provável grande sucesso do Carnaval baiano, é mais que axé. É arrocha, gênero comumente mais associado com o sertanejo. E é pop, com direito a vídeos em que nomes como Neymar, David Brazil, Anitta e Daniela Mercury cantam a música. E sucesso no iTunes até na Europa, como informa o homem-Psirico, Marcio Victor. “Já tínhamos saído do Brasil há alguns anos, mas agora vários países estão querendo a gente”, diz, sonhando com um sucesso igual ao de ‘Ai, Se Eu Te Pego’, de Michel Teló. “Ela tá indo para o mesmo caminho. Se chegar na metade, já ficamos satisfeitos.”

Marcio VictorDivulgação

A música é da dupla Filipe Escandurras e Magno Sant’Anna, autores de hits como ‘Tempo de Alegria’, gravada por Ivete Sangalo, e ‘Nova Paradinha’, suingueira do Harmonia do Samba. Marcio ainda não conhecia o mashup que fizeram de seu sucesso com a música de Lady Gaga, mas se anima em ouvir. “Já tocamos durante quatro horas com vários DJs misturando nosso som com eletrônicos”, conta.

Últimas de Diversão