Documentário, exposição e debates fazem carioca entrar no clima da Copa

Um dos destaques é ‘Jogada de Arte Sesi Cultural’, projeto que inaugura a programação sobre futebol nesta sexta-feira

Por O Dia

Rio - Brasil e Venezuela se enfrentaram nas eliminatórias da Copa de 70, em 10 de agosto de 1969, na capital Caracas. Chovia demais e o time Canarinho parecia ter pernas de pau. O primeiro tempo terminou em 0x0, para desespero do então técnico João Saldanha. Os brasileiros se dirigiram para o vestiário e, espanto geral, foram impedidos de entrar pelo próprio Saldanha, que havia trancado a porta e jogado a chave fora. Depois de um esculacho daqueles, os jogadores voltaram para a partida sem banho e com o mesmo uniforme imundo do primeiro tempo. Resultado: a partida terminou com a vitória do Brasil por 5x0, sendo três gols de Tostão e dois de Pelé.

O time do ‘Pop Bola’%2C a partir da esquerda%3A Lopes%2C Waguinho%2C Bebê Monstro%2C Alexandre e Tavares.Divulgação

Estas e tantas outras histórias estão no documentário ‘João Saldanha’ (2010), de André Iki Siqueira e Beto Macedo, que será exibido no ‘Jogada de Arte Sesi Cultural’, projeto que inaugura a programação sobre futebol no Teatro Sesi, na sexta-feira.

“Tem também a vez em que João Saldanha conseguiu trazer Mané Garrincha de volta para a concentração da Seleção, depois de o jogador ter fugido. Foi na Argentina, em 1957. O Garrincha sumiu, o João ficou furioso e saiu atrás dele pelas ruas de Buenos Aires. Achou o cara num concurso de tango, agarrado a uma baixinha. O Garrincha dançou e estava na final do concurso. Acredita?”, conta André Iki Siqueira. “E o pior é que a história não acaba por aí. Na manhã seguinte, a baixinha foi lá na concentração e fez o maior barraco, dizendo que, se o João não tivesse tirado o Garrincha de lá, eles teriam ganhado o concurso e levado o prêmio de US$ 20. Para amenizar os ânimos, Saldanha deu o dinheiro à mulher”, lembra o diretor. Além do documentário, a iniciativa terá a exibição de curtas, seguida de mesa-redonda com o escritor e jornalista Ruy Castro.

A bola também vai rolar às 10h, com a abertura da exposição com obras de Gerchman. Organizada pelo Instituto Rubens Gerchman, com curadoria de Marco Antonio Teobaldo, a mostra será uma síntese de cinco décadas de trabalho, em que o artista traduziu sua paixão pelo esporte em retratos de ícones da bola como Pelé, Garrincha, Zico, Maradona, Beckenbauer e Ronaldinho. Faz parte da mostra a última obra da série ‘Futebol’, ‘100% Grafite 100% Negro’, em que Rubens Gerchman expõe sua revolta com o episódio de racismo contra o jogador brasileiro Grafite, em 2005, durante uma partida na Argentina.

Mais de 40 obras do artista plástico brasileiro serão transportadas para diversas plataformas, como painéis, vídeos e tablets. Reproduções de seus cadernos, onde ele fazia colagens, anotações e rascunhos, serão exibidas pela primeira vez. A exposição inclui também uma instalação com camisas de futebol que remete à obra de Gerchman exibida no Museu de Arte Moderna, na década de 1980. A mostra é gratuita e fica em cartaz até 30 de maio.

Na sequência, às 12h30, os caras do ‘Pop Bola’ entram em campo para divertir o público com o ‘Talk-Show de Bola’, um espetáculo de stand up comedy. O programa nasceu na Rádio Cidade e tinha como apresentador o jornalista Alex Escobar. Atualmente, comandam a bancada Alexandre, Tavares, Waguinho, Lopes, Bebê Monstro e o cantor Toni Platão. Com exceção de Toni, todos os outros estarão no palco do Teatro Sesi. Os ingressos custam R$ 10.

“O espetáculo é uma expansão do programa de rádio. Só que, dessa vez, estaremos mais focados na Copa do Mundo. Também apresentaremos curiosidades e casos pessoais. O público gosta disso. Já fazemos esse stand up há cinco anos e vamos mudando de acordo com o que vai surgindo”, adianta Waguinho, que aproveita para dar uma notícia em primeira mão: “Teremos um canal nosso no YouTube, com temas focados na Copa.” O comediante faz ainda uma aposta: “Acho que o Brasil leva esse Mundial. O que me preocupa é como o evento vai acontecer, como será a infraestrutura. Motivo para piada não falta.”

A programação especial do dia 21 no Sesi termina com uma mostra de três curtas sobre o futebol mais o documentário sobre João Saldanha, seguidos de uma mesa-redonda com Ruy Castro, autor de ‘Estrela Solitária’, biografia sobre Garrincha. Além de Ruy Castro, participarão do debate André Iki Siqueira e Renê Goya Filho, diretor de ‘Gaúchos Canarinhos'. A mostra começa às 19h e o ingresso (que inclui participação na mesa-redonda) sai a R$ 10.

Últimas de Diversão