Mauro Ferreira: Hinos nacionais de Vanusa em seu apogeu artístico

Caixas com reedições de oito álbuns da artista evidenciam o ecletismo de uma cantora que foi da canção popular ao Rock

Por O Dia

Rio - Para a ‘geração malhação’ dos tempos cibernéticos, Vanusa é a cantora que virou piada na internet, em 2009, por ter se atrapalhado ao cantar o ‘Hino Nacional Brasileiro’ em solenidade pública. Para quem viveu a década de 1970, Vanusa é — ou, pelo menos, foi — uma cantora popular de bom alcance vocal, que foi da canção popular ao rock, passando pela MPB, em seu apogeu artístico. Oito álbuns dessa fase áurea da cantora estão sendo relançados em duas caixas produzidas pelo pesquisador Marcelo Fróes para seu selo Discobertas. A primeira caixa embala reedições de álbuns lançados entre 1968 e 1973. Já a segunda traz os discos de período que vai de 1974 a 1979.

Vanusa tem relançados%2C em duas caixas%2C oito álbuns que abrangem período que vai de 1968 a 1979%2C época em que incursionou pela psicodelia e pela MPBÓleo de Tebaldo / Reprodução da capa do álbum ‘Amigos novos e antigos’

Tema do 'Fantástico'

Paulista criada em cidades do interior de Minas Gerais, Vanusa Santos Flores surgiu na era da Jovem Guarda. O disco ‘Vanusa’ de 1968 reflete no repertório o universo pop do movimento. Mas já no álbum seguinte, também intitulado ‘Vanusa’ e lançado em 1969, a cantora investiu no soul e na psicodelia que davam o tom no fim dos anos 1960. As distorções da faixa ‘Atômico platônico’ exemplificam a onda da cantora na era hippie.

Apesar da capa psicodélica, o álbum seguinte, ‘Vanusa’ (1971), já traz no repertório a influência do cantor paulista Antonio Marcos (1945 - 1992), com quem Vanusa casou, em parceria estendida para a música. Uma faixa-bônus da reedição do disco é o dueto com Antonio Marcos em ‘Namorada’, música defendida por Vanusa em um festival de 1971.

Disco de 1973 que marcou o ingresso da cantora na gravadora Continental, ‘Vanusa’ trouxe o hit radiofônico ‘Manhãs de setembro’, inspirada parceria da artista com Mário Campanha. A reedição inclui como faixa-bônus o tema de abertura do programa ‘Fantástico’, gravado em 1973.

Música pesada em inglês

Além de ‘Manhãs de setembro’, o LP de 1973 fez barulho com música pesada em inglês, ‘What to do’, alvo de comparação com tema similar lançado pelo grupo Black Sabbath.

Já o álbum ‘Vanusa’ de 1974 lançou o hit ‘Sonhos de um palhaço’, parceria de Sérgio Sá e Antonio Marcos. Mas o grande salto artístico da cantora foi dado em 1975 com a gravação e edição de seu melhor álbum, ‘Amigos novos e antigos’, voltado para a MPB. Neste disco, ela lançou ‘Paralelas’, de Belchior, e gravou Luiz Melodia (‘Congênito’) e João Bosco e Aldir Blanc (a música-título). Disco de 1977, ‘Vanusa 30 anos’ bisou o flerte com a MPB, lançando ‘Avohai’, de Zé Ramalho. Por fim, ‘Viva Vanusa’ emplacou o hit ‘Mudanças’. Vanusa era levada a sério.

Últimas de Diversão