Diversão

No ar em 'Apocalipse', Igor Rickli exalta o trabalho e fala sobre a família

Ator também comenta a volta de sua mulher, Aline, ao Rouge

Rio - Enquanto muitos atores se despedem da TV ou ficam na geladeira ao verem seus contratos encerrados, Igor Rickli caminha na contramão e assume mais um protagonista na Record. Intérprete de Benjamin em 'Apocalipse', o ator de 33 anos acredita que a dramaturgia está em reformulação e, cada vez mais, só haverá espaço para quem, além de talentoso, é comprometido e sabe lidar com as pessoas.

Igor Rickli Divulgação

"É um novo tempo para todo mundo, e a gente vê muita gente boa sem emprego. Não adianta ter só talento. Tem de saber se portar, ter respeito aos profissionais que chegam cedo na emissora", afirma ele, ao reconhecer que um dia a má fase pode chegar. "Eu sei que uma hora todo mundo cai, mas o bacana da vida é isso, é saber se reerguer."

Muito família, o marido de Aline Wirley, vocalista do grupo Rouge, não esconde a alegria nesta fase. Além de curtir muito a mensagem que seu personagem vai passar na trama bíblica de Vivian de Oliveira, ele celebra a volta de sua mulher aos palcos e aproveita o tempo livre para curtir o filho Antônio, de 3 anos.

"Estou muito feliz pela Aline. Estava difícil. Eu fiz dois shows para ela em casa, tirando do meu bolso, sozinho, até que as meninas resolveram voltar com o Rouge e foi um boom. Os ingressos para o show esgotaram em uma hora", celebra ele, que esteve presente na apresentação da amada no último dia 25 de novembro no Expo Barra Funda, em São Paulo.

Pai coruja, Igor conta que já pensa em ampliar a família. O plano, segundo o ator, é adotar uma criança o quanto antes. Depois, ter mais um filho biológico antes de "fechar a fábrica". Sem economizar nos elogios ao pequeno e à mulher, ele diz que está vivendo uma "maré de sorte" e aproveita para exaltar a novela que fala sobre o Apocalipse. "A trama quer mostrar ao público o que eu já acredito. Se o mundo acabasse hoje, por exemplo, eu ficaria com a minha família, as pessoas que eu mais amo nessa vida, porque isso é o que verdadeiramente importa", garante ele, ao afirmar que o folhetim está sendo exibido no momento certo, pois o mundo precisa de mais amor.

"A gente tem de começar a pensar no que a gente realmente quer para as nossas vidas, porque o tempo está passando rápido demais. Todo mundo deseja nutrir boas relações. No fundo, falta de amor é o nosso problema", desabafa o herói da novela e das vidas de Aline e Antônio.

Reportagem de Bárbara Saryne do Diário de S.Paulo/Agência O DIA

Relacionadas

    Comentários

    Mais lidas

      Escolha do Editor

        Newsletter

        Receba gratuitamente o melhor conteúdo de O DIA no seu e-mail e mantenha-se muito bem informado

        • Anuncie também pelo DIAFONE(21) 2532-5000
        Anuncie