Agitando no Verão

Roteiro das águas doces e cristalinas das cachoeiras

Cariocas e visitantes trocam praias lotadas por encontro com verde paradisíaco

Rio - Com arrastões nas praias cheias e nem sempre tão limpas, as cachoeiras se tornaram uma ótima opção para quem quer se refrescar das altas temperaturas. A cidade possui inúmeras quedas da água, e o Parque Nacional da Tijuca reúne a maior parte das atrações. Mas também há outras cachoeiras pela cidade para fugir do trânsito estressante na orla.

O estudante de Cinema Patrick Seabra, de 25 anos, é um frequentador assíduo das cachoeiras do Horto. “Vou muito com os meus filhos porque não gosto de praia nem piscina. Prefiro o contato com a mata e a água natural de nascente”.

O administrador de empresas José Luiz Marins, 57, fala sobre a paixão pelas trilhas e cachoeiras. “Tenho preferência pelas de difícil acesso, mas destaco a Cachoeira da Gruta em Jacarepaguá, principalmente depois de dois dias de chuva, com o aumento do volume d'água. É uma queda livre entre rochas, numa entrada em formato de um arco, você chega e se depara com tamanha beleza e energia”, destaca.

José Luiz Marins prefere as cachoeiras de difícil acesso. A da Gruta, em Jacarepaguá, é sua preferida Divulgação

Gestor da Trilha Carioca e há 17 anos no mercado, Cadu Freitas diz que a cidade possui muitas opções de cachoeiras, que sempre foram pouco exploradas. “Com as redes sociais e as praias lotadas, houve um aumento de pessoas curtindo as fotos e querendo conhecer esses locais”. Ele destaca que a proximidade das cachoeiras facilitou a frequência e a democratização no acesso. “Hoje temos boas opções como a Cachoeira da Almas no Parque Nacional da Tijuca, a dos Primatas, no Horto, que são bem acessíveis e podem ser usadas".

O caminho para as cachoeiras é também ótima opção para atividades ao ar livre, assim como outras trilhas que possibilitam um visual impactante da cidade.Freitas, porém, chama a atenção para um “código de conduta” nas cachoeiras.

“Vejo muita gente se aventurando em entrar em horários não permitidos, geralmente entre 8h e 18h. Isso é lei e pode gerar dor de cabeça ao visitante. Algumas delas são proibidas e mesmo assim o usuário insiste”, afirma. Patrick confirma: “A estrutura da trilha e da cachoeira do Horto não suporta esse fluxo todo de pessoas”.

Feitas alerta: quem quer se aventurar pelas trilhas que levam às cachoeiras deve ficar de olho nas chuvas acompanhadas de ventos fortes e raios no verão. “Todo cuidado é pouco. Se quer caminhar, faça com responsabilidade e espírito de quem está entrando num habitat que não é o seu. O respeito à fauna e flora é fundamental.”

- 'Off-praia'

Das Almas

Fica localizada no Setor Floresta da Tijuca, a 3km da entrada do Parque Nacional da Tijuca.

Dos Primatas

Também no Parque Nacional da Tijuca, no Setor Serra da Carioca. O acesso é pela Rua Sara Vilela, no Jardim Botânico. Uma leve trilha leva até a queda d’água.

Do Mendanha

Fica no Parque Estadual do Mendanha, com acesso pela estrada Abílio Bastos, em Campo Grande. São três cachoeiras com pedras que proporcionam escorregas naturais.

Dos Macacos

Na Estrada Dona Castorina,acesso à Vista Chinesa, possui uma queda da água de 20m de altura.

Cascata Diamantina

É uma das maiores quedas da água do Parque da Tijuca. A trilha é leve, com acessos pela Praça Afonso Viseu e Estradas da Cascatinha e do Imperador.

Reportagem da estagiária Marina Cardoso

Relacionadas

    Comentários

    Mais lidas

      Escolha do Editor

        Newsletter

        Receba gratuitamente o melhor conteúdo de O DIA no seu e-mail e mantenha-se muito bem informado

        • Anuncie também pelo DIAFONE(21) 2532-5000
        Anuncie