Escolas de samba dizem que não dará para fazer os ensaios técnicos

Prefeitura vai liberar mais R$ 6,5 milhões às agremiações com recursos da iniciativa privada

Rio -  Mesmo com o reforço da subvenção anunciado pela prefeitura, as escolas projetam o fim dos ensaios técnicos e a redução de componentes e alegorias nos desfiles. Após a reunião com o prefeito, o presidente da Mangueira declarou que a agremiação não fará ensaio técnico.

Ele acredita que outras escolas também vão desistir do evento. “A Mangueira não participará de ensaio técnico e nem do Réveillon. É uma maneira de economizarmos”, afirmou Chiquinho da Mangueira. Segundo ele, cada ensaio— que começa um mês antes do desfile e é gratuito— custa cerca de R$ 200 mil, com gastos que vão desde segurança até carro de som.

Castanheira frisou que o corte de 25% — antes do reforço era 50% — atendeu o esperado e que a negociação fará equação favorável pelo momento da prefeitura. “As escolas estão fazendo esforço para enxugar o necessário, mas mantendo o espetáculo brilhante”.

Reforço de R$ 6,5 milhões

A Prefeitura do Rio se comprometeu a conseguir, junto à iniciativa privada, mais R$ 6,5 milhões para distribuir entre as 13 escolas de samba do Grupo Especial. O reforço vai garantir a cada agremiação R$ 1,5 milhão para realizar o desfile de 2018. Com isso, o corte da subvenção caiu para 25%, ante os 50% anunciado anteriormente e que causou tanto alvoroço no mundo do samba, inclusive com ameaças de não ter desfile. A divulgação do novo valor foi feita, ontem, pelo prefeito Marcelo Crivella, em reunião com representantes das escolas de samba.

Crivella também garantiu que a subvenção de R$ 1 milhão para o Carnaval do ano que vem será paga até novembro —três meses antes do evento—, e a primeira parcela será repassada às agremiações até o final deste mês. “Estamos fazendo um esforço grande aqui na prefeitura para ajudar as escolas. Temos conversado com um monte de gente. Nós vamos conseguir esse patrocínio para as escolas, podem confiar!”, afirmou, confiante, o prefeito.

O presidente da Riotur, Marcelo Alves, explicou que a prefeitura já distribuiu o caderno de encargos às empresas interessadas em patrocinar o carnaval. A ideia é conseguir, com esses patrocinadores, verba não só para os blocos de rua, mas também para o desfile na Sapucaí. “Queremos dessas empresas muito mais que a instalação de banheiros químicos e alambrados. As negociações já foram abertas e temos recebido um retorno positivo das marcas”, salientou.

Já o presidente da Liesa, Jorge Castanheira, lembrou que, nos últimos anos, as escolas de samba perderam o patrocínio da Petrobras e também do Governo do Estado. Por isso, ele considera importante chegar a um acordo com a Prefeitura. “A gente entende que a solução vai ser construída por meio da Riotur”, declarou o presidente da Liesa.

No final do encontro, Crivella fez um apelo aos presidentes das escolas de samba. “Nós (prefeitura) estamos sem dinheiro, mas temos talento e criatividade. Nós temos que acreditar. Fiquem tranquilos porque vamos fazer o melhor carnaval de todos os tempos”. Uma nova reunião foi marcada para a próxima segunda-feira, quando serão assinados os contratos com as agremiações e fechado o calendário de pagamento das parcelas da subvençã

Cotas de patrocínio vão custar até R$ 20 milhões

A Riotur lançou, ontem, o projeto de marketing para o Carnaval 2018, e a partir de hoje recebe propostas para aquisição de cotas de patrocínio. Serão disponibilizadas 13 cotas: uma de R$ 20 milhões, duas de R$ 8 milhões e 10 de R$ 2 milhões, através da modalidade de chamamento público, que prevê parcerias entre a administração pública e as organizações da sociedade civil.

“É um modelo de marketing muito ousado. Sabemos que muitas marcas querem estar presente no Carnaval e não temos dúvida de que conseguiremos arrecadar o valor suficiente para fazer um Carnaval maravilhoso”, afirmou o presidente da Riotur, Marcelo Alves.

Escolha será em agosto

As empresas interessadas em patrocinar o Carnaval 2018 tem de hoje até o dia 11 de agosto para retirar o edital de chamamento público, anexos e minuta do contrato. As propostas deverão ser entregues para sessão pública na Riotur no dia 15 de agosto, às 15h. No edital estão especificações que estabelecem as modalidades de patrocínio e uma apresentação técnica do amplo projeto de marketing.

Para a seleção pública, serão disponibilizadas 13 cotas de patrocínio, uma vez que o chamamento público também vai contemplar outros eventos de destaque como o desfile de blocos de embalo e enredo na Av. Chile, bailes populares, blocos de rua e desfile na Intendente Magalhães.

Relacionadas

    Comentários

    Mais lidas

      Escolha do Editor

        Newsletter

        Receba gratuitamente o melhor conteúdo de O DIA no seu e-mail e mantenha-se muito bem informado

        • Anuncie também pelo DIAFONE(21) 2532-5000
        Anuncie