Alimentação saudável: como convencer uma criança a fazer boas escolhas?

Na última coluna, os números da obesidade infantil e a importância dos exercícios para combater o problema foram o tema. Agora é preciso falar sobre a busca pela alimentação saudável

Por *Aventuras Maternas

Alimentação saudável - coluna Aventuras Maternas
Alimentação saudável - coluna Aventuras Maternas -

Rio - Na última coluna, os números da obesidade infantil e a importância dos exercícios para combater o problema foram o tema. Agora é preciso falar sobre a busca pela alimentação saudável. Como convencer uma criança a fazer boas escolhas?

A nutricionista Renata Araujo, fundadora da Realimentare, concorda que é uma tarefa difícil para os pais, mas o primeiro passo é o exemplo. "Antes de transferir a missão de comer bem para o filho, é importante se preocupar com suas próprias escolhas alimentares. As crianças aprendem por imitação", comenta.

Fatores genéticos também são determinantes para a preferência por alguns alimentos. "Nascemos com tendência a gostar mais do paladar doce, mas é possível desenvolver o hábito de consumir frutas e vegetais desde cedo. É preciso ensinar as crianças a comer", explica a coordenadora do curso de Nutrição do Centro Universitário Celso Lisboa, Juliana Pandini.

O gastroenterologista Henrique Eloy pontua ainda que é preciso lembrar que a alimentação errada está relacionada a várias doenças. "É alta a incidência de problemas respiratórios como asma, aumento de colesterol, diabetes e triglicérides, hipertensão, problemas nas articulações, baixa qualidade do sono, estados depressivos e alterações hormonais, levando à puberdade precoce".

A solução é unânime: o diálogo. Mariana Lemos, mãe de Pedro, de 10 anos, conta que o filho sempre gostou de doces e alimentos processados, como nuggets. "Mas ele começou a engordar e ficamos com medo do diabetes, já que existe histórico familiar. Conversamos e explicamos por que mudaríamos o cardápio. É difícil convencer uma criança que brócolis é melhor que batata frita. Mas criamos um menu saudável e colorido com ajuda de uma nutricionista", conta.

Embora os hábitos de casa sejam determinantes para a boa alimentação, como controlar o que comem no recreio? "Levar a criança para comprar os alimentos, planejar o lanche, desenvolver receitas junto e negociar um dia na semana para o filho levar o que quer ajuda na elaboração de um bom lanche", sugere Renata, que também criou o Projeto Alimentação Consciente nas Escolas com a nutricionista Cynthia Howlett, para realizar palestras sobre a nutrição infantil.

Comentários

Últimas de DMulher