Empregos & Negocios

App reembolsa quem avaliar o almoço pago

Essa é a proposta do 'Almoço Grátis' que contempla as opiniões dos clientes. Restaurantes pagam por esses dados

Rio - As novas tecnologias vêm provocando transformações na relação entre empresas e clientes. E mudando conceitos. Um deles, expresso na frase popular 'não existe almoço grátis', foi posto em xeque por um grupo de empreendedores. Eles criaram uma plataforma que reembolsa usuários cadastrados por refeições nos restaurantes parceiros, com uma única contrapartida: responder a um questionário de avaliação sobre a experiência nos estabelecimentos. Com dois meses de atividade no Rio, a startup Almoço Grátis conta com cerca de 6 mil internautas cadastrados.

A equipe responsável pelo site Almoço Grátis: proposta é reembolsar mais de 15 mil refeições até 2018 Divulgação

O sistema funciona da seguinte forma: o usuário se cadastra no site almocogratis.com.br. E, a partir do CEP informado, tem acesso às opções disponibilizadas pelos restaurantes nas imediações. Ao reservar um cupom, o cliente vai até o estabelecimento e paga a conta normalmente. Em seguida, faz o upload da nota fiscal no site e responde a um questionário com 40 perguntas. Caso os dados sejam aprovados, ele recebe o reembolso integral da refeição. "Os restaurantes adiantam os valores dos cupons, que depois repassamos aos clientes", explica Paulo Costa, um dos sócios da Almoço Grátis.

Já o restaurante recebe o feedback dos frequentadores, que avaliam o atendimento, a qualidade dos produtos e a infraestrutura da casa. Mas não só isso. "Além dos dados de cada questionário, entregamos um relatório com pontos fracos e fortes e fazemos sugestões para melhorias. Também enviamos um comparativo em relação à concorrência".

É aí que a plataforma lucra, a partir dos valores pagos pelos restaurantes para analisar os dados. "Mas os restaurantes acabam reavendo esse custo, pois é comum os clientes consumirem outros itens do estabelecimento quando ele sabe que o almoço vai sair de graça. Há estudos que mostram que este gasto extra é da ordem de 30%, em média", explica Paulo Costa.

Em busca de críticas

Para Rafael Saavedra, um dos sócios do Talho Capixaba, empresa que completa 60 anos no mercado em 2018, o modelo proposto pelo Almoço Grátis é a forma mais isenta para avaliar a qualidade do serviço prestado. "Os clientes passam a ser um prolongamento dos nossos olhos e ouvidos quando não estamos no restaurante. Sabemos que muitos não se sentem à vontade para fazer críticas, mas, de forma anônima, eles escrevem".

Além do Talho Capixaba, restaurante com filiais no Leblon e na Gávea, fazem parte do Almoço Grátis estabelecimentos de grandes redes, como Pizza Hut, Spoleto, Koni, Bibi Sucos, Burger King e McDonald's. As lojas ficam no Centro e em bairros das Zonas Norte, Oeste e Sul da cidade.

Relacionadas

    Comentários

    Mais lidas

      Escolha do Editor

        Newsletter

        Receba gratuitamente o melhor conteúdo de O DIA no seu e-mail e mantenha-se muito bem informado

        • Anuncie também pelo DIAFONE(21) 2532-5000
        Anuncie