Brasileirão

Torcedores se revoltam e agridem jogadores com chutes e pontapés

Situação só foi contornada com a chegada da Polícia Militar

Ceará - O Fortaleza pena na Série C do Brasileirão há várias temporadas e a torcida não se conforma. Mas desta vez alguns torcedores mais exaltados passaram de qualquer limite civilizado e partiram para a agressão.

Após empate em 1 a 1 com o Remo neste domingo, quarto jogo seguido sem vitória, os zagueiros Edimar e Adalberto, o volante Wellington Reis e o atacante Jô saiam do vestiário quando foram cercados por cerca de dez homens, que agrediram os atletas com chutes e pontapés. A situação só foi contornada com a chegada da Polícia Militar.

Apesar da revolta de alguns torcedores, o Fortaleza está em segundo lugar no seu grupo. O clube divulgou nesta segunda-feira uma nota oficial lamentando o corrido.

"O Fortaleza se solidariza com atletas que foram agredidos na saída do estádio Presidente Vargas O Fortaleza tem em sua essência o branco da paz, diria Jackson de Carvalho, autor de nosso hino. Por isso nos causa uma tristeza profunda noticiar que alguns atletas do clube foram covardemente agredidos na saída do estádio Presidente Vargas. Atos como esses são resultado de atitudes individuais e isoladas, que em nada representam a grandiosidade e a lealdade da torcida tricolor. O clube tem feito tudo para estimular e promover a paz, com ações inovadoras, que vêm sendo elogiadas em todo o país. Seguiremos neste caminho. A paz é uma conquista. Aos agressores, nossa indignação. E não só isso: o clube vai trabalhar pela identificação e tomará as providências cabíveis".

Relacionadas

    Comentários

    Mais lidas

      Escolha do Editor

        Newsletter

        Receba gratuitamente o melhor conteúdo de O DIA no seu e-mail e mantenha-se muito bem informado

        • Anuncie também pelo DIAFONE(21) 2532-5000
        Anuncie