Lomba diz não saber de ida de Guerrero para o Inter e afirma que peruano treinará até a sexta

Atacante tem contrato com o Flamengo até o dia 10 de agosto

Por O Dia

Ricardo Lomba é vice presidente de futebol do Flamengo
Ricardo Lomba é vice presidente de futebol do Flamengo -

Rio - O acerto de Guerrero com o Internacional repercutiu no Flamengo. No Maracanã, o vice de futebol do clube, Ricardo Lomba não confirmou que o peruano deixou o Rubro-negro. Apesar disso, o dirigente afirmou que o atacante ainda tem contrato com o clube carioca.

"Não tenho informação oficial. Li na internet. Não fui informado de nada. Se ele já fechou contrato com o Inter, até sexta tem contrato com a gente, treina e depois é liberado", disse em entrevista à Fox Sports.

Paolo Guerrero está perto de trocar o Flamengo pelo Internacional. Os representantes do atacante se reuniram nesta quarta-feira, no Rio de Janeiro, com dirigentes do clube gaúcho e negociaram um contrato de três anos. O anúncio oficial, porém, depende de dois fatores: a realização de exames médicos por parte do jogador e o encerramento de seu contrato com a equipe carioca, o que ocorrerá somente na sexta-feira.

O Internacional deve contar com a ajuda do grupo DIS, um fundo de investimentos esportivos, para contratar Guerrero. O fundo vai investir R$ 10 milhões no negócio, que serão utilizados para pagamento de luvas ao jogador - a metade de maneira imediata e o restante em várias parcelas ao longo do contrato. O salário mensal de Guerrero será de cerca de R$ 800 mil.

O peruano está com 34 anos e se desgastou com o Flamengo por conta do caso de doping em que se viu envolvido. Foi suspenso por 14 meses, sempre alegou que foi vítima de um erro, mas teve de lutar sozinho para readquirir o direito de voltar a jogar. O clube não se empenhou em defendê-lo. Isso desgastou sua relação com os dirigentes.

Depois de longa batalha, Guerrero conseguiu disputar a Copa do Mundo pela seleção do Peru. Pouco antes da competição, ele obteve um efeito suspensivo que lhe permite atuar normalmente. Depois da Copa, fez algumas partidas pelo Flamengo, mas não vinha sendo escalado para que não estourasse o limite de jogos no Campeonato Brasileiro que impede transferências.