Dicas para reformar o banheiro

Especialistas explicam os modelos de cuba mais adequados para diversos ambientes

Por Marina Cardoso

Especialistas dão dicas para descobrir a cuba certa para lavabos e banheiros -

Rio - Na hora de reformar o banheiro, escolher a cuba adequada pode ser mais difícil do que se pensa. Com tantos modelos disponíveis no mercado, fica complicado escolher o tipo ideal. Para ajudar na tarefa, o DIA  ouviu especialistas, que explicam as diferenças entre os modelos e orientam sobre a alternativa mais indicada para determinados tipos de ambiente.

As opções mais comuns são aquelas em que a cuba fica embutida na bancada ou sobreposta. O primeiro modelo é o mais usado, pois é prático na higienização da bancada. Basta limpar com água e, em seguida, escorrê-la para dentro da cuba.

Apoiados sobre a bancada

Já os modelos que ficam apoiados sobre a bancada são bem-vindos quando as superfícies são feitas de material que não pode ser molhado, como a madeira. Vale lançar mão dessa opção quando se deseja uma altura mais elevada para a torneira. "Nesses dois exemplos, as torneiras podem ser convencionais, sem ser de bica alta", explica a arquiteta Daniele Okuhara.

Há mais opções no mercado, como o modelo em que a cuba fica apoiada na parede do banheiro. Ele é adequado para ambientes compactos, pois permite a redução do tamanho da bancada até o limite da base da cuba. Ou mesmo a sua eliminação completa, permitindo que o morador ganhe centímetros no espaço. É possível, ainda, instalar um suporte para toalhas. "Há modelos em que a torneira ou o misturador são colocados sobre a cuba ou a bancada. Neste último caso, como a bancada fica mais baixa, é preciso comprar torneiras de bica alta para ter uma distância certa entre ela e o fundo da cuba", explica a arquiteta Beatriz Ottaiano.

Modelo preso à parede é ideal para cadeirantes

Com a parte frontal sobressalente, as cubas de semiencaixe são ideais para ambientes pequenos, pois possibilitam a utilização de uma bancada mais estreita. A instalação, um pouco mais trabalhosa, exige grapas parafusadas na parede, massa plástica ou silicone antimofo. "O modelo pode ser instalado em tampos de qualquer material, desde que a bancada tenha, no mínimo, 30 centímetros de profundidade", orienta Fabio Camurri, diretor de uma empresa especializada em porcelanato.

No mercado, há também o modelo de cuba de parede, instalada na parede. Os misturadores ficam sobre a peça. "É uma boa solução para banheiros acessíveis, pois o cadeirante consegue colocar as pernas embaixo da cuba", finaliza a arquiteta Daniele.

 

Galeria de Fotos

Especialistas dão dicas para descobrir a cuba certa para lavabos e banheiros Divulgação
Modelo de embutir e o de parede, no detalhe Divulgação
Especialistas dão dicas para descobrir a cuba certa para lavabos e banheiros Divulgação
Especialistas dão dicas para descobrir a cuba certa para lavabos e banheiros Divulgação

Últimas de Imóveis e Casa