Pesquisa revela quanto custa morar próximo ao metrô

Residências próximas ao modal podem ser até 77% mais caras

Por O Dia

A Barra teve a maior diferença de preço em relação a outros bairros de uma mesma zona da cidade. Proximidade da praia eleva valores
A Barra teve a maior diferença de preço em relação a outros bairros de uma mesma zona da cidade. Proximidade da praia eleva valores -

Rio - Um estudo feito pelo site de vendas OLX concluiu que morar perto do metrô pode ser até 77% mais caro em comparação com regiões que não contam com esse tipo de transporte público. O levantamento analisou mais de 512 mil anúncios feitos no portal durante os primeiros semestres de 2017 e 2018.

Na comparação com Jacarepaguá, a plataforma observou que o morador da Barra que vive perto do metrô paga 77% a mais no preço do imóvel. Além do modal, há outros benefícios que influenciam no preço, como a proximidade da praia e de shoppings. No bairro, a média do metro quadrado das residências que ficam perto do serviço de transporte é de R$ 15,9 mil.

A Tijuca segue a tendência. Residências próximas às estações Afonso Pena, São Francisco Xavier, Saens Peña e Uruguai custam 18% a mais em comparação à média do bairro. A média do metro quadrado é de R$ 12 mil.

No Centro, não há grande variação de preços devido à variedade de estações. O valor médio do metro quadrado em imóveis próximos ao metrô é de R$ 10 mil.

A Zona Sul apresenta outro cenário: quanto mais distante do metrô, maior o custo. Quem mora perto do modal paga até 14% a menos pelo imóvel, sendo R$ 18,8 mil o valor médio do metro quadrado na região. "Isso acontece mais em bairros como Ipanema e Leblon, onde os moradores têm carros e querem mais exclusividade", diz Leonardo Schneider, do Secovi-Rio.

O estudo também apontou as regiões com imóveis mais baratos nas imediações de estações do Metrô. Todas as áreas ficam na Zona Norte da cidade. Entre as regiões citadas, estão Pavuna, Coelho Neto e Tomás Coelho. O valor médio do metro de um desses bairros é R$ 3.208, R$ 3.700 e R$ 5.016, respectivamente.

Comentários