Imóveis & Casa

Mostra 'Morar Mais por Menos' traz ótimas sugestões para a casa

Exposição fica no CasaShopping, na Barra da Tijuca, até 17 de setembro. São propostas criativas com preços acessíveis

Rio - Uma sala que remete às memórias e tem um toque de subúrbio. Outra feita especialmente para um pai solteiro. Mais uma para toda a família. E, por último, uma cinemateca para conquistar os apaixonados por filmes. São alguns dos ambientes da 'Morar Mais por Menos'. A mostra fica no CasaShopping, na Barra da Tijuca, até 17 de setembro, reunindo ideias para quem deseja renovar o lar, todas com propostas criativas e com valores que cabem no bolso.

Há opções de sala para pais solteiros, para toda a família e que faz alusão às memórias. Também há uma cinemateca na mostra Divulgação

A arquiteta e paisagista Janete Oldemburg, que assina a Sala Suburbano Coração, conta que a intenção é resgatar memórias afetivas, gostos, acervos culturais e mostrar a influência que tudo isso exerce sobre o projeto de arquitetura. "O objetivo do espaço é mostrar que é possível unir conforto, modernidade, passado e afetividade de cada pessoa, deixando aflorar sua essência. Por isso, criei uma atmosfera com materiais que insinuam de onde viemos e que se adequam ao conceito da mostra", explica.

O espaço reúne móveis modernos, contemporâneos e de madeira de demolição, peças artesanais, afetivas e artísticas, tampinhas de garrafa de cerveja e paredes com pinturas envelhecidas ou com pintura de renda. Para baratear os custos do projeto, a profissional utilizou, o drywall no lugar da madeira para fazer paredes, nichos, rodapés e prateleiras.

A designer Avner Posner desenvolveu a Sala do Pai Solteiro. Com caráter intimista, o espaço tem tons pastéis nas paredes e cores fortes, como alaranjados e avermelhados, presentes em quadros, cadeiras e adornos. Já a marcenaria tem cores claras para dar amplitude ao local. Na Sala Multifuncional da Família, da arquiteta Cyntia Sabat, foram usadas diferentes técnicas para otimizar e baratear o espaço. É o caso da mesa retrátil que, quando não está sendo usada, fica escondida. Outro elemento é a adega ao lado do frigobar, feita de blocos de concreto. "Além de baratos, os blocos trazem sustentabilidade ao projeto", comenta a arquiteta.

E para quem tem muita vontade de ter uma sala de cinema em casa, vale conferir a Cinemateca, do designer de interiores Marlon Branco e da arquiteta Natália Veronezi. Em vez das usuais cadeiras de cinema, foram usados 24 pallets tamponados para criar uma espécie de arquibancada, acolchoada por almofadas e futons. "Dessa forma, conseguimos ganhar espaço para acomodação e locomoção das pessoas: os pallets foram cobertos com carpetes e as almofadas servem de encosto e apoio", diz Natália.

A iluminação foi feita em partes pontuais do espaço para criar um ar intimista e não atrapalhar a projeção da tela de cinema. "Os adornos remetem a toda uma cultura dos cinemas: há estampas de filmes e atores famosos, referências como câmeras e a cadeira do diretor, além de baldes de pipocas servindo de luminária. Além de embelezarem, tornam o projeto ainda mais barato", afirma Marlon.

Relacionadas

    Comentários

    Mais lidas

      Escolha do Editor

        Newsletter

        Receba gratuitamente o melhor conteúdo de O DIA no seu e-mail e mantenha-se muito bem informado

        • Anuncie também pelo DIAFONE(21) 2532-5000
        Anuncie