Brasileiro escolheu ser fuzilado em pé e vendado na Indonésia, diz jornal

Marco Archer morreu neste sábado (domingo, no país asiático), com um único tiro disparado contra seu peito

Por O Dia

Indonésia - O carioca Marco Archer Cardoso Moreira, de 53 anos, condenado à morte por fuzilamento por tráfico de drogas, na Indonésia, escolheu ser executado em pé e vendado, segundo informações da "Folha de S. Paulo". O brasileiro morreu neste sábado (domingo, no país asiático), com um único tiro disparado contra seu peito.

Brasileiro é executado na Indonésia por tráfico de drogas

Brasileiro executado na Indonésia levou um único tiro no peito

De acordo com a reportagem, publicada nesta quinta-feira, os cinco condenados estavam em frente a cruzes, algemados, vestiam camisas brancas e cada um teve uma marca preta desenhada perto do coração, como se fosse um alvo para os carrascos.

Marco Archer Cardoso Moreira trabalhava como instrutor de voo livre e foi preso em agosto de 2003Divulgação

Marco pediu para ser executado em pé. Os outros quatro executados fizeram a mesma escolha. Por lei, os condenados tinham a opção de sentar em uma cadeira ou se ajoelhar. Minutos antes do fuzilamento, só quem tinha acesso ao local eram os policiais dos pelotões de fuzilamento (12 policiais para cada executado), um médico e um padre protestante indonésio.

Ainda de acordo com a reportagem da "Folha", após as mortes, os corpos foram limpos, vestidos com ternos pretos, providenciados pelo governo da Indonésia, e colocados em caixões brancos. O corpo de Marco foi cremado em uma folha de bananeira, mas a tia do brasileiro, Maria de Lourdes Archer Pinto, deve providenciar uma outra cremação antes de trazê-lo ao Brasil, já que os ossos não foram totalmente carbonizados.

Últimas de _legado_Mundo e Ciência