Mundo procura por destroços de espaçonave russa

Desgovernada, a Progress M-27M entrou na atmosfera sobre o Pacífico e se desintegrou

Por O Dia

Rio - O mundo parou para olhar para o céu, à espera da queda da espaçonave russa descontrolada, a Progress M-27M. Segundo o SatView, site de rastreamento mundial de satélites, o início de sua entrada na atmosfera da Terra ocorreu por volta das 21h20 de ontem, no Mar de Bering, extremo norte do Oceano Pacífico, entre o estado norte-americano do Alasca e a Rússia.

Comunicado da Roscosmos — agência espacial russa, equivalente à Nasa dos Estados Unidos revela fim da espaçonave: "A nave Progress M-27M deixou de existir às 05h04 de Moscou (23h04 Brasília de quinta-feira) de 8 de maio de 2015. Sua entrada na atmosfera ocorreu sobre a parte central do Pacífico".

ENTENDA: Fragmentos de foguete russo poderiam cair sobre o Brasil

Espaçonave da Rússia caiu na TerraDivulgação / ISS

Pelo padrão orbital da Progress, havia chances ontem de pedaços caírem até mesmo no Brasil. Mas era difícil prever a exata localização, já que o objeto orbitava a velocidade de 25 mil km/h, aproximadamente, ou seja, dava uma volta completa na Terra em menos de uma hora e meia. Na tarde de ontem, ela foi do norte do Amazonas ao sul do Paraná em cerca de seis minutos. Pelas previsões de ontem à noite, ela não passaria mais pelo Brasil. “A grande parte da destruição ocorre a uma altura de 70 a 80 km. E um número limitado de componentes da máquina ‘sobrevive’. Os destroços são espalhados por enormes distâncias, de até 1 mil km. É possível encontrar um pedacinho a cada cem quilômetros”, explicou Holger Krag, chefe da Agência Espacial Europeia. Ele já havia dito, dias atrás, que o risco de alguém ser atingido por destroços era “extremamente remoto”. Em seis décadas de voos espaciais, nenhum ser humano foi ‘premiado’, disse.

A espaçonave ficou descontrolada logo após ser lançada, dia 28 de abril. Com 7,3 toneladas, incluindo as 2,5 toneladas de suprimentos que levava para a Estação Espacial Internacional, a Progress deveria chegar à plataforma seis horas depois de sua decolagem. Ela carregava combustível, oxigênio, alimentos e outros equipamentos científicos para os astronautas.

A Roscosmos diz que o voo a partir do Cosmódromo de Baikonur, no Cazaquistão, até o espaço, foi normal. Porém, 1,5 segundo antes da separação da nave do foguete, houve perda de dados do sistema que enviava informações para a Terra. As naves Progress, usadas há 35 anos, são um orgulho para a Rússia. Só ocorrera um acidente, em 2011.

CURIOSIDADES

PESO E VELOCIDADE
A velocidade aproximada com que a nave russa orbitava o Planeta Terra era de 25 mil km/h, ou seja, dava uma volta ao redor do planeta a cada hora e meia. Ela tinha 7,3 toneladas, incluindo as 2,5 de suprimentos que levava para os astronautas na Estação Espacial. Mas os cientistas não vão passar fome: há reservas suficientes.

QUEDAS CONSTANTES
Todo ano, cerca de cem toneladas de lixo espacial reentram na atmosfera da Terra. A maioria do material pega fogo e se desintegra antes de atingir o planeta. Ou seja, pequenos satélites e foguetes ‘mortos’ caem na Terra toda semana. Objetos maiores, como a Progress, caem cerca de uma vez por ano.

TUDO DE NOVO
A missão era estimada em 51 milhões de dólares. Agora a Rússia planeja lançar a Progress M-28M no início de julho, segundo a Nasa informou.

Últimas de _legado_Mundo e Ciência