Presidente da SuperVia é obrigado a prestar depoimento na Lava Jato

Nova fase mira em supostos pagamentos ilícitos da empreiteira

Por O Dia

Rio - O presidente da SuperVia foi obrigado, nesta terça-feira, a prestar depoimento à Polícia Federal na 26ª fase da Operação Lava Jato. Carlos José Vieira Machado da Cunha foi conduzido coercitivamente à delegacia.

A nova fase da operação foi deflagrada após indícios de que a empreiteira Odebrecht fez pagamentos ilícitos a servidores públicos por conta de contratos firmados com a construtora. Concessionária responsável pelo transporte ferroviário no Estado do Rio, a SuperVia pertence à Odebrecht.

Ao todo, quatro suspeitos tiveram a prisão preventiva decretada; outros nove, a prisão temporária. Além disso, vinte e oito pessoas foram obrigadas a depor na Polícia Federal e, em seguida, foram liberadas. Ao todo, a polícia tem objetivo de cumprir 110 mandados judiciais no Distrito Federal e em oito estados ao longo do dia.

Por meio de nota, a Odebrecht diz que o executivo Carlos José Cunha já prestou depoimento e foi liberado. E que "a empresa tem prestado todo o auxílio nas investigações em curso, colaborando com os esclarecimentos necessários".

Últimas de Rio De Janeiro