Opinião

Roberto Muylaert: economia de mercado

A soma dessas vontades, habilidades, e muito trabalho, é o que pode fazer o país andar para a frente e o povo melhorar de vida

Rio - A pobreza no Brasil é problema que se arrasta década após década, sem solução. O Bolsa Família, que até hoje reúne uma legião de pessoas fiéis a Lula como um messias, foi uma iniciativa muito apropriada, quando criada. A grande sacada do ex-presidente foi usar de sua familiaridade com o flagelo da fome no Nordeste, região em que nasceu, para tentar minorar a fome. Ao criar o Bolsa Família, que não pesa muito no orçamento federal, adotou-se a solução de dar o peixe para matar a fome dos mais necessitados, em vez de doar-lhes uma vara de pesca. Numa situação de penúria, ninguém consegue pescar.

A partir daí ficou subentendido, para o povo brasileiro, que doação a fundo perdido seria a solução para melhorar a vida de todo mundo, de preferência sem trabalhar. Mas não é assim que as coisas funcionam na economia de um país de livre-iniciativa, como prevê a Constituição Federal.

Quem pode resolver o problema da pobreza que aflige a todos os que desejam um Brasil melhor é o mercado, onde a mão invisível de Adam Smith vale até hoje como parâmetro para a criação de riqueza.

O governo atual do Brasil, mancomunado com um Congresso desonesto, mais o anterior, das iniciativas geniais da 'presidenta' para a economia, levaram o país para o buraco em que se encontra.

O raciocínio é simples: no modelo atual, o governo suga tudo o que o país consegue pagar de impostos e contribuições. Fica como nosso representante para utilizar o dinheiro arrecadado. E utiliza-o em projetos mal conduzidos, corruptos, em prol de grupos privados escolhidos, e de uma casta de dependentes do governo altamente remunerados, cuja principal missão é existir no melhor dos mundos, sem que as aflições por que passa a população os atinja. Para quem mora na bolha dos privilegiados de Brasília, o Brasil vai muito bem.

A economia de mercado deixa recursos na mão da iniciativa privada, formada por centenas de milhares de pessoas com vontade de trabalhar e produzir. A soma dessas vontades, habilidades, e muito trabalho, é o que pode fazer o país andar para a frente e o povo melhorar de vida.

Todo mundo trabalhando, e o governo deixando trabalhar. Não à sem-vergonhice encrustada no Planalto Central.

Relacionadas

    Comentários

    Mais lidas

      Escolha do Editor

        Newsletter

        Receba gratuitamente o melhor conteúdo de O DIA no seu e-mail e mantenha-se muito bem informado

        • Anuncie também pelo DIAFONE(21) 2532-5000
        Anuncie