Opinião

Sávio Neves: oportunidade no turismo

O turismo, como atividade econômica, tem potencial para ser a locomotiva da retomada do desenvolvimento econômico no Rio e no Brasil

Rio - A Estrada de Ferro do Corcovado, que neste ano completou 133 anos de glória, história que se confunde com a própria urbanização do Rio de Janeiro, foi reprivatizada em 1984, depois de um período inédito de 14 anos como empresa estatal. Não fosse a grave crise econômica que afeta o país e se mostra mais aguda no Rio, associada às mazelas da gestão pública, que se refletem em um quadro de (in)segurança assustador e, do ponto de vista do visitante, desmotivador, estaríamos batendo todos os recordes históricos de visitação.

O turismo, como atividade econômica, tem potencial para ser a locomotiva da retomada do desenvolvimento econômico no Rio e no Brasil. Mesmo com este cenário de retração, responde por 3% do PIB nacional, gerando renda e milhares de empregos por todos cantos do país, desde grandes centros urbanos até os mais remotos rincões, envolvendo diversas atividades da economia, desde setores estruturados como construção civil até pequenos negócios, envolvendo artesanato, gastronomia...

Em 2007, numa linda jornada vencedora, liderada pelo Trem do Corcovado e apoiada por diversas entidades civis e entes públicos, o Brasil todo elegeu o Monumento ao Cristo Redentor como uma das Sete Maravilhas do Mundo. A partir deste título vitalício, todas as outras conquistas se sucederam: sede dos Jogos Pan-Americanos e Parapan em 2007, Jogos Mundiais Militares, Copa das Confederações e Jornada Mundial da Juventude em 2013, Copa do Mundo de Futebol em 2014, Olimpíadas e Paralimpíadas, em 2016... além de tantos outros eventos internacionais, de grande porte, que chegaram por inércia, pela força da 'vitrine' que o calendário de ouro trouxe pro Rio e para o Brasil. Mas o 'start' deste ciclo virtuoso se deu na vitoria do 'Cristo Maravilha do Mundo'. Este status de cidade hospitaleira, que sabe receber o visitante, deve ser preservado e potencializado a todo custo, muito especialmente zelando com tolerância zero os grandes corredores de turismo do Rio.

Para fazer frente a este desafio de adaptar a infraestrutura aos novos tempos, no Trem do Corcovado estão sendo investidos mais de R$ 200 milhões em melhorias e obras físicas, coma a revitalização da Estação do Cosme Velho, criação do Espaço Cultural, auditório, Sala VIP, novas plataformas de embarque e desembarque, serviços integrados com o Complexo das Paineiras revitalizado, Exposição Permanente, novos trens suíços, renovando toda a frota e, principalmente, no seu mais valioso ativo, a qualificação constante do corpo de colaboradores.

Além do investimento no Complexo das Paineiras, que consumiu mais de R$ 40 milhões e tem tudo para se tornar um novo point dos cariocas, com bar, restaurante, salas de eventos, área para praticantes de esportes, especialmente a galera da bicicleta , fizemos um grande investimento no maior Aquário da América Latina, que neste primeiro ano de funcionamento já recebeu mais de 1,5 milhão de pessoas. Estrondoso sucesso!

Nesta esteira de grandes oportunidades de negócio, estamos instalando a Roda Panorâmica Estrela do Rio, a maior da América Latina, na região portuária. Ainda antes da Copa de 2018, entrará em operação criando mais uma âncora turística.

Acreditamos firmemente na capacidade da Cidade Maravilhosa de atrair mais visitantes com um turismo estruturado, forte, vigoroso, vocação primeira do Rio. Precisamos, todos juntos, Poder Público e iniciativa privada, de mãos dadas, estar atentos e preparados para não perdermos esta enorme janela de oportunidades.

Sávio Neves é presidente do Grupo Esfeco (Trem do Corcovado, AquaRio, Complexo das Paineiras e Roda Estrela do Rio)

Relacionadas

    Comentários

    Mais lidas

      Escolha do Editor

        Newsletter

        Receba gratuitamente o melhor conteúdo de O DIA no seu e-mail e mantenha-se muito bem informado

        • Anuncie também pelo DIAFONE(21) 2532-5000
        Anuncie