Saulo Menegheti viverá um jovem abolicionista em 'Escrava Mãe'

Folhetim que inaugura amanhã o novo horário de novelas da Record, às 19h30

Por O Dia

Charles (Saulo Menegheti) volta ao Brasil após estudar na Inglaterra Divulgação

Rio - Um jovem abolicionista vai colocar o racismo em discussão em ‘Escrava Mãe’, folhetim que inaugura amanhã o novo horário de novelas da Record, às 19h30. No papel de maior destaque de sua carreira, o ator Saulo Menegheti dará vida ao revolucionário Charles Alencastro, que não medirá esforços na sua luta contra a escravidão.

“Charles é um jovem brasileiro que estudou na Inglaterra e viveu de perto o fim da escravidão na Europa. Sua volta ao Brasil desperta nele um senso de justiça, uma vontade de encerrar a situação deplorável em que vivem os negros. Mas no seu caminho vai haver muita luta, porque os donos de engenho e também a Igreja Católica vão confrontá-lo”, conta.

A trama principal gira em torno da escrava Juliana (Gabriela Moreyra), a mãe da escrava Isaura, personagem icônica vivida por Bianca Rinaldi na versão da Record, ‘A Escrava Isaura’, em 2004, e por Lucélia Santos na trama original da Globo, em 1976/77. Ambientada na fictícia Vila São Salvador, no Rio de Janeiro, ‘Escrava Mãe’ foi gravada em uma fazenda no interior de São Paulo, que também servira como locação para ‘A Escrava Isaura’.

“Embora seja uma novela de época, ela é muito atual. O enredo se passa em 1808, mas 200 anos depois ainda lutamos contra o racismo. A expectativa é muito boa, estamos confiantes em apresentar esse trabalho”, diz.

Além de discutir o racismo, Saulo destaca que a novela pretende mostrar que a Igreja Católica esteve do lado daqueles que defendiam a continuidade da escravidão por motivos religiosos e econômicos. Vale lembrar que a Record é uma emisora evangélica, comandada pelo Bispo Edir Macedo.

O ator acredita que, nos dias de hoje, a luta de seu personagem ainda seria a favor da igualdade, mas o foco seria maior nas mulheres e nos problemas cotidianos da sociedade ainda machista. “O meu direito vai até onde o do outro termina. Todo mundo merece respeito”, defende.

Nascido em Chapecó (SC), Saulo Meneghetti, 30 anos, mora há 12 em São Paulo, para onde se mudou com a intenção de ser ator. Ele tem passagens em novelas da Globo e da própria Record.

Além de ‘Escrava Mãe’, Saulo está no elenco de ‘Cromossomo 21’, documentário que estreia no segundo semestre e que conta a história de uma mulher com síndrome de down, que se relaciona com um homem que não possui. O ator considera o filme um dos trabalhos mais marcantes de sua carreira e conta como foi importante participar do projeto e descobrir que as diferenças entre quem tem ou não o cromossomo 21 é mínima.

“Temos o nosso próprio tempo, nossas próprias dificuldades, e um cromossomo não muda isso. Conheci uma menina do elenco que tinha duas faculdades. Foi enriquecedor ver isso de perto”, comenta o ator.

Com reportagem de Bruna Motta

Últimas de Rio De Janeiro