Rio

Artistas e funcionários lamentam fim da MPB FM

Rádio saiu do ar à meia-noite desta quarta-feira. Profissionais contam que foram pegos de surpresa

Rio - O término da MPB FM pegou de surpresa os funcionários, ouvintes e artistas. Uma das principais rádios de música do Rio saiu do ar à meia-noite desta quarta-feira. No entanto, profissionais relataram que a direção não comunicou previamente sobre o fim da empresa e que só souberam das demissões no fim da tarde de terça-feira. 

Apresentador do programa "Você na MPB", Yke Leon contou que os problemas começaram depois do horário de almoço dos funcionários. "Estava tudo bem, estávamos trabalhando normalmente. Até que começamos a ficar sem acesso ao e-mail e à rede. Depois, o RH chamou cada um para comunicar o término da rádio", explicou o jornalista.

A partir desta quarta-feira, a BandNews FM ocupa a atual frequência da MPB FM (90,3 FM), além de continuar na 94,9 FM. Para Yke, o fim da rádio será uma grande perda para a música brasileira. "A nossa tristeza não é só da demissão em massa de 40 funcionários, mas também porque a gente acreditava que a rádio cumpria um papel de resistência na cultura. Um papel que não tem mais ninguém fazendo. A nossa ficha ainda não caiu", lamentou o apresentador.

MPB FM sairá do ar a partir da meia-noite desta quarta-feira Reprodução Internet

Em entrevista ao DIA, o vocalista do Casuarina, João Cavalcanti, definiu a MPB FM como um "oásis" para os artistas brasileiros. Ele destacou ainda que a rádio reunia democraticamente todos os estilos de música do país. "É muito triste, ficará uma lacuna", reforçou o cantor. A banda seria entrevistada ainda nesta semana no programa "Você na MPB". 

Apesar de ser uma grande perda para a música, João ressaltou que o fim da empresa causa um drama ainda muito maior para os funcionários. "Sou muito sensível a isso. Fico triste por essas pessoas, que não tiveram nem um aviso prévio. Eu fiz grandes amigos lá", disse o artista, lembrando ainda que um dos demitidos foi o radialista Fernando Mansur. "Ele é uma espécie de ídolo para todo mundo".

A associação Procure Saber, que reúne diversos artistas brasileiros, afirmou que a rádio é uma "grande contribuinte para a nossa cultura". "Ficar sem a rádio significa fechar a porta para a cena musical brasileira, e isso não pode acontecer", enfatizou, em nota.

Por meio das redes sociais, os ouvintes lamentaram o fim da MPB FM. "Essa rádio é maravilhosa, não pode acabar", pediu um deles. "Vocês deixaram milhares de órfãos", disse outro internauta. "Única rádio que eu gostava de ouvir", escreveu mais um usuário na Web.

Em nota divulgada na página do Facebook, o Grupo Bandeirantes, que fazia a gestão da MPB FM, confirmou que o conteúdo da rádio BandNews Fluminense passará a ser transmitido na frequência de 90,3 FM. "A programação da rádio que toca exclusivamente música popular brasileira continuará sendo transmitida online no aplicativo Band Rádios para smartphones e na web no site mpbfm.com.br, ficando assim ainda mais acessível para o seu público fiel", completou.

Fim abrupto

As atividades da MPB FM foram encerradas no primeiro minuto desta quarta-feira. A rádio tocava, em modo automático, a música "Quem te viu, quem te vê", de Chico Buarque, na versão de Zeca Pagodinho. A canção foi interrompida e durou apenas 1 minuto e 21 segundos.

Em seguida, a frequência no dial passou a ser ocupada pela Band News, que faz parte do Grupo Bandeirantes, dono da MPB FM.

Vídeo: 

Relacionadas

    Comentários

    Mais lidas

      Escolha do Editor

        Newsletter

        Receba gratuitamente o melhor conteúdo de O DIA no seu e-mail e mantenha-se muito bem informado

        • Anuncie também pelo DIAFONE(21) 2532-5000
        Anuncie