Rio

Turista argentina é baleada no Morro dos Prazeres

Ela teria entrado por engano em acesso ao morro em Santa Teresa

Rio - Uma turista argentina foi ferida com três tiros disparados por homens apontados como traficantes de drogas do Morro dos Prazeres, em Santa Teresa, na tarde desta segunda-feira. Ela estava acompanhada de outras três pessoas — uma de nacionalidade argentina e outras duas, espanhola — em um automóvel. O veículo teria entrado por engano na favela, segundo a Polícia Militar.

A turista foi identificada como Natalia Lorena e está internada no Hospital Municipal Souza Aguiar, no Centro. De acordo com a secretaria municipal de Saúde, seu estado inspira cuidados.

Em nota, o comando da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) dos Prazeres afirmou que uma guarnição policial socorreu os turistas na rua Gomes Lopes. “De acordo com o relato das vítimas, criminosos dispararam contra o carro do grupo. Na ação, uma turista foi ferida. A Unidade realiza buscas, na tentativa de localizar os envolvidos no episódio”.

A ocorrência foi registrada na Delegacia Especial de Apoio ao Turista (DEAT). O marido da turista argentina está sendo ouvido especializada. Além dele, um casal de espanhóis que estavam no veículo também prestam depoimento. Segundo a delegada Valéria Aragão, titular da unidade, as medidas necessárias para prosseguir com a investigação do fato estão sendo adotadas. O grupo seguia para o Cristor Redentor através do aplicativo Google Maps, quando entrou por engano na comunidade.

O espanhol dirigia o carro. As mulheres estavam no banco de trás. "Os bandidos não encostaram no carro e nem roubaram nada. Atiraram e desapareceram", disse a delegada. O casal argentino chegou ao Rio no último dia 21 e os espanhóis desembarcaram dois dias depois.

Italianos foram vítimas

Há 82 dias, um turista italiano foi morto ao cruzar de moto uma das ruas da mesma favela. Roberto Bardella, de 52 anos, foi atingido por um tiro de fuzil na cabeça e morreu na hora. Ele estava acompanhado do primo, o também italiano Rino Polato, 59, e voltavam de uma visita ao Cristo Redentor. Na descida, quiseram passar em uma oficina mecânica nos Prazeres, quando foram abordados por supostos traficantes.

Rino Polato chegou a ficar horas reféns dos bandidos, até ser liberado com o corpo do primo.



Colaborou Guilherme Santos

Relacionadas

    Comentários

    Mais lidas

      Escolha do Editor

        Newsletter

        Receba gratuitamente o melhor conteúdo de O DIA no seu e-mail e mantenha-se muito bem informado

        • Anuncie também pelo DIAFONE(21) 2532-5000
        Anuncie