Rio

Corpos encontrados teriam ligação com tentativa de 'golpe de estado' na Rocinha

Corpos achados em carro eram de integrantes do tráfico na favela que mudariam de facção e roubariam posto de Rogério 157, chefe do tráfico

Rio - Os três corpos encontrados dentro de um carro na Estrada da Gávea, em São Conrado, na Zona Sul do Rio, teriam ligação com uma tentativa de "golpe de estado" orquestrada por traficantes da Favela da Rocinha, que fica a poucos metros da cena do crime. 

Dois mortos foram identificados como Robson Silva, vulgo "99", e Welington Nascimento, conhecido como " Vasquinho". O terceiro seria Ítalo de Jesus Campos, o Perninha, que era o gerente geral do tráfico na Rocinha. Segundo informações, eles estavam mudando de facção e tentariam tomar o posto de Rogério Avelino da Silva, 35 anos, o Rogério 157, o atual chefe do tráfico na comunidade. A trama foi descoberta e os então comparsas foram mortos.

Corpos seriam de traficantes ligados à Rogério 157 (foto), mas que estavam tentando um "golpe de estado" na Rocinha Reprodução / Divulgação

O Disque-Denúncia oferece recompensa de R$ 30 mil por informações que levem à prisão de Rogério 157, sucessor de Nem da Rocinha, do qual era segurança pessoal. O criminoso participou da invasão do Hotel Intercontinental, em 2010,  quando um grupo de pelo menos 10 traficantes fez 35 reféns no local após entrarem em confronto com a polícia quando voltavam de um baile funk no Morro São Carlos, no Estácio. 

O grupo dava proteção ao traficante Nem da Rocinha, que conseguiu fugir do cerco policial à época. Atualmente Nem se encontra preso. Um dos integrantes do bando era Ítalo de Jesus Campos, o Perninha, apontado como um dos mortos que estava no carro encontrado nesta segunda-feira. O Disque-Denúncia oferecia R$ 1 mil por informações que levassem à sua captura. 

Rogério 157 também é um dos procurados pela morte de um policial militar no Morro do Vidigal, Zona Sul, no mês passado. Hudson Silva de Araújo, de 46 anos, foi assassinado, no último domingo, em um confronto com bandidos. O militar foi o primeiro a ser morto desde a implantação da UPP na favela em 2012.

Procurada, a Polícia Civil, através da Delegacia de Homicídios da Capital (DH-Capital), ainda não deu detalhes sobre a investigação dos crimes. 

Corpos foram encontrados dentro de carro próximo a Rocinha Reprodução TV Globo


Relacionadas

    Comentários

    Mais lidas

      Escolha do Editor

        Newsletter

        Receba gratuitamente o melhor conteúdo de O DIA no seu e-mail e mantenha-se muito bem informado

        • Anuncie também pelo DIAFONE(21) 2532-5000
        Anuncie