Incêndio histórico

Por

Brasil: um país sem futuro e, agora, sem passado, destruídos pelo presente.

Rubens Falcão

Nova Iguaçu

A República destrói aos poucos os vestígios históricos da monarquia. Depois do incêndio do Museu Nacional, resta apenas alguns, como o palacete da Ilha Fiscal, que em suas paredes de pedra tem incrustado o brasão da Monarquia, não destruído ainda, pois está sob a custódia da administração da Marinha do Brasil.

Paulo Marcos Lustoza

Copacabana

Domingo de Quinta da Boa Vista era sinônimo de família. Pela manhã, Jardim Zoológico seguido de ligeiro piquenique e, à tarde, o grande Museu Nacional. Imponente como o silêncio espacial do meteorito Bedengó, os esqueletos estranhos, os olhares infantis transbordavam de curiosidade. No fim de tarde, fechavam-se as portas, e o burburinho de visitantes dava lugar aos rangeres solitários de velhos pilares de madeira, causados pela temperatura mais baixa da noite que chegava. Crianças, ao dormir, até sonhavam com os dinossauros que admiraram no Museu. De repente, um enorme incêndio, também num entardecer de domingo, pôs tudo abaixo e esfumaçou um pedaço da alma carioca. E pensar que seu custo anual era menor do que um juiz do Supremo Tribunal Federal. E que não recebia verbas regulares desde 2014. Tudo muito triste.

Paulo Roberto

Barra da Tijuca

Flamengo em

má fase

Há tempos que o Flamengo já vem impondo vexames com estádio lotado. Sou flamenguista, mas infelizmente é a verdade. Tem elenco, mas não tem time.

Samuel Dias

Via Facebook

Eleições 2018

Como votar? Não há como acreditar em tais políticos. São os mesmos adeptos do velho lema: 'é dando que se recebe'.

William Teixeira

Bangu

Comentários