Haddad na corrida presidencial

Por

Finalmente, o poste, também usado por cães para fazerem suas necessidades, assumiu. Como já era de se esperar, o Partido dos Trabalhadores (PT) foi obrigado, pela Justiça Eleitoral, a oferecer a cabeça de Fernando Haddad numa bandeja, não ao rei Herodes, mas, sim, à população brasileira que desejava acabar logo com todo o circo. Vê-lo como candidato do partido disputando a presidência no lugar de Lula, devidamente preso e condenado em segunda instância, e portanto, barrado pela Lei da Ficha Limpa, representa quase tudo aquilo que já era previsto há muito tempo por analistas e até por quem não entende tanto do assunto, mas que tem noção que o plano continua sendo dar continuidade ao projeto criminoso de poder, dessa vez elegendo um capacho.

João Direnna

Quissamã

Repercussões diferentes

Parte da mídia chegou à exaustão total no caso Marielle Franco. Um noticiário em cima do outro, comoção total e por um período longo. Já com o atendado a Jair Bolsonaro parece que só é notícia pela obrigação de informar. Não se vê comoção, não se vê alarde, não se veem cobranças. Dá a impressão aos cidadãos que foi apenas um caso isolado, uma fatalidade.

Paulo Antunes

Méier

Rio de contradições

Embora o Rio tenha uma fantástica oferta de atividades de culturais e lazer, face à sua exuberante natureza, vivemos momentos complicados em usufruir tais ações, face à violência urbana que inibe o usufruto de tais benesses. A síndrome compulsiva de pânico que a população carioca vivencia afeta sobremaneira o setor gastronômico, que à noite vive um sério de esvaziamento desse salutar costume, com sérios prejuízos econômicos para esse setor.

José de Anchieta Nobre de Almeida

Praça da Bandeira

PM morto em assalto

Infelizmente, mais um para a estatística

Thales Vicente Menezes

Via Facebook

Comentários