Horizonte pessimista

Por

À exceção dos eleitores radicais e fanáticos pelos candidatos, os brasileiros participarão da eleição mais difícil desde a redemocratização do país, após o regime militar que durou 21 anos. A campanha de Fernando Haddad, com os mesmos petistas de sempre, sinaliza que a mudança se restringe à troca do vermelho pelo verde, amarelo e azul, e pela figura de Lula, agora oculta. Enquanto Jair Bolsonaro prega basicamente a violência e o desrespeito às minorias. Apesar das desmentidas do presidenciável, sua cúpula de sustentação fala em autogolpe, criação de mais impostos, fim do 13º salário e da gratificação de férias. Metralhar os 'petralhas' do Acre, decretar o fim do Ibama, incentivar a derrubada de árvores e outras ameaças ao ambiente, ao regime democrático e aos direitos dos cidadãos. Os brasileiros não têm para onde correr. Ou teremos a mesmice corrupta dos petistas ou a truculência explícita dos bolsonaristas.

Arnaldo dos Santos

Recreio dos Bandeirantes

Verdão e Mengão brigam pela liderança

Vai pra cima deles, Mengo!

Josiele Souza

Via Facebook

Se a disputa está só entre os dois clubes, como O DIA insinua, a torcida do Palmeiras já pode começar a comemorar.

Ricardo Pascale

Via Facebook

PF apreende fuzis no Santos Dumont

Agora sim, começaram trabalhar certo, por onde entram as armas e drogas no Brasil. É preciso mais vistorias nos portos e aeroportos.

Silva Silva

Pelo Facebook

Se o governo federal investir pesado na repressão à entrada das ferramentas da morte, bocas estão com dias contados.

Silva Silva

Pelo Facebook

Bolsonaros e o STF

Antes do vazamento do vídeo de Eduardo Bolsonaro, em que ele elucubra sobre o fechamento do STF, o pai afirmou que basta nomear mais 1O ministros para resolver o problema.

Boanerges Castro

Via Facebook

Comentários