Águas alcalinas aumentam nas prateleiras dos mercados

Sem comprovação científica e com benefícios controversos entre os médicos, líquido é objeto de discórdia

Por *Luana Dandara

Matéria de saúde pH água -

Rio - Recém-chegadas no mercado brasileiro, as águas alcalinas são objeto de discórdia. Enquanto algumas empresas prometem benefícios como a desintoxicação e melhor funcionamento dos sistemas vitais, nutricionistas e bioquímicos afirmam que a água, que pode ser encontrada por preços até três vezes maiores nas prateleiras, ajuda apenas em casos específicos, mas ainda sem comprovação científica.

De acordo com a determinação do Ministério da Saúde, a água potável precisa conter um pH entre 6 e 9,5. O pH nada mais é do que a concentração de íons de hidrogênio presentes na água, ou seja, o índice que determina o grau de acidez. E no caso da água alcalina, ela apresenta um pH acima de 7. Os defensores do produto justificam que por conta do nível mais alto, a água tem o poder de neutralizar o ácido no corpo, que é responsável por causar danos à saúde.

O nutrólogo e cardiologista Lair Ribeiro afirma que a água alcalina ajuda a rejuvenescer e previne até o câncer. "O pH do sangue é de 7.35 a 7.45, quando tomo uma água com pH abaixo do sanguíneo, o organismo vai ter que trabalhar apenas para equilibrar o pH. A medida que você envelhece, o corpo vai acidificando", diz ele. "O câncer ocorre em ambiente ácido, ele não consegue desenvolver em ambiente alcalino", acrescenta Lair.

Hidratação

A nutricionista Elisabete Rocha discorda, e pondera que a água alcalina não é necessária para a saúde, nem milagrosa. "Nosso sangue trabalha com um pH constante, e temos os mecanismos metabólicos para esse equilíbrio. Independente da água alcalina ou ácida, o nosso organismo sempre vai compensar. A função da água é hidratar, e não nutrir", defende ela, que explica que o estômago é preparado para suportar alto pH através da sua mucosa protetora, e grande parte das vitaminas precisam de pH ácido para serem absorvidas. "A acidez é necessária para a digestão dos alimentos".

A professora de bioquímica da Faculdade Arthur Sá Earp Neto, Fernanda Retondaro, reforça o argumento. "A água alcalina tem intuito de fazer a neutralidade, mas não existe comprovação científica disso. O organismo já faz a homeostase. Então essa água só seria interessante em uma patologia, como um distúrbio gástrico, por exemplo. Mas há a necessidade de exames e de indicação médica".

Investir em alimentos saudáveis, como grãos, frutas e verduras ricas em magnésio é mais interessante do que beber água alcalina, pondera a nutricionista Elisabete. "O que pode prejudicar o mecanismo compensatório da acidez é o excesso de industrializados, sal e açúcar refinado. Logo, uma dieta saudável é essencial para o corpo e traz, além do valor alcalino, uma abrangência de nutrientes e benefícios", finaliza.

*Estagiária sob supervisão de Joana Costa

Comentários