Por monica.lima

A busca da dieta não se restringe aos humanos, que não só em sua porção fêmea perseguem o manequim mais leve todos os dias. No mundo dos carros, a procura por novos materiais está no plano rotineiro dos projetistas. A guerra contra a balança começou com o uso de compósitos, nos Corvette desde sempre. A fibra de vidro continua presente no jipe Troller, em que pese suas limitações na absorção de energia de impactos. A fibra de carbono, barata como insumo, tem custo altíssimo de processamento, em peças moldadas sob calor e pressão, aí, ficam nos superesportivos Ferrari e cia.

No alto%2C o turbo%2C ao seu lado a Ferrari com policarbonato na tampa e o console em fibra de carbono%2C como a carroceria do Audi amareloDivulgação

Marcas premium se dedicam com afinco a essa questão, na busca de mais e mais performance. Braços de suspensão de alumínio não só aliviam o peso, mas melhoram o desempenho. No campo da pesquisa, as rodas de plástico apontam no horizonte. Com 4 quilos a menos, elas são boa promessa. Idem para as janelas laterais de policarbonato, que derivam das pistas para conceitos da Ford. A grande revolução nesse campo, aliás, dá-se nos plásticos, cada dia mais presentes. Acessível e leve, o plástico faz parte de 100 quilos de um carro médio, em painéis, tanques de combustível, coletores de admissão, tampas, para-choques, revestimentos, etc. Até as molas helicoidais estão na mira e são de fibra e resina, desenvolvidas pela Audi. O plástico pode substituir, com 44 quilos, 350 quilos de aço!

Os pesados motores elétricos dos limpadores podem ser trocados por ar pressurizado e para-brisas hidrorepelentes. Chapas prensadas a quente, mais finas, resistentes e leves estão no acessível VW up!

Os motores ensaiam a cerâmica mas ainda ficam no alumínio. Quem sabe até motores com o bloco em plástico?

Os quatro cilindros são substituídos por três. O turbo promove ganho de potência e menos massa. Em motores MultiAir da Fiat, os eixos de comando de válvulas viraram válvulas de controle eletro-hidráulico, mais leves. Os faróis de policarbonato não cortam atropelados e prestam bom papel ao regime de emagrecimento. Exemplos bem-sucedidos: Passat , - 80 Kg; Ford F150 -318 Kg; Range Rover - 420 Kg.

PONTO-A-PONTO

? Indústria automotiva mexicana em alta atraiu nada menos do que cinquenta sistemistas para as novas fábricas da Nissan, Mazda e Honda. Os anúncios de aberturas de plantas da Mercedes-Benz e da BMW foram lenha na fogueira e os mexicanos comemoram a possível virada sobre o Brasil no volume
de produção global.

? Com a retirada da Chevrolet da Europa, a GM quer ativar a briga pelo mercado dos carros ‘low cost’ no Velho Continente. O modelo deverá ser parecido com o bem- sucedido casamento Renault-Dacia e será capitaneado pela Opel.

? A  revista alemã Manager Magazin publicou na capa da última edição o interesse da VW no grupo Fiat-Chrysler. O pessoal do “Carro do Povo” estaria de olho na rede Chrysler America, considerada estratégica para seus planos nos EUA. Foram desmentidos por todos os envolvidos.

? As  vendas do Cadillac CTS foram suspensas nos EUA enquanto a marca busca uma solução para o tambor de ignição, que já levou milhões de GM às oficinas.

? A Chery inaugura fábrica em Jacareí, SP, dia 28 de agosto. Vai montar o hatch Celer e o QQ lá.

? A alta de 23% nas vendas globais no último semestre vai na contramão do mercado e anima a Bentley Motors que subiu 61% na China. Focada em qualidade, a Bentley destaca seu Flying Spur V8 (foto) como um dos best-sellers.

500 C por R$ 56,9 mil

O conversível mais barato do Brasil ganha melhor preço com a adoção do motor 1.4 EVO Flex, o mesmo que equipa a linha Fiat nacional. As opções de câmbio são o manual ou Dualogic, ambos de cinco marchas. Continua em oferta a versão 1.4 MultiAir automática 6 marchas. A versão mais acessível do 500, a Cult, fechada, sai por R$ 47,4 mil.

Este pequeno grande sucesso

O fortwo (e o forfour, este não vendido no Brasil), chegam à terceira geração em novembro. O novo design, mais musculoso, usa a plataforma do Renault Twingo e mantém as dimensões (2,60 m) que fazem o seu sucesso na Europa, onde pode estacionar de frente nas vagas apertadas. O motor pode ter 72 cv ou 90 cv, no turbo.

Os cavalos do Mustang

A informação que faltava no pré-lançamento do novo Mustang foi revelada: a potência de seus motores. O V8 de 5 litros terá 441 cv e o Ecoboost 2.3 virá com 314 cv. As duas opções serão vendidas na América do Norte e Europa, onde o esportivo chega ano que vem.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia