Por gabriela.mattos

Rio - Uma briga de família, no Facebook, foi parar na Justiça. O pomo da discórdia começou com declaração da tia na rede social de que seu irmão, já falecido, não seria o pai biológico da sobrinha. A jovem pediu indenização contra a tia, mas os desembargadores da 1ª Câmara Cível negaram.

Os magistrados entenderam que a tia se colocou à disposição da jovem para doar material para fazer exame de DNA, a partir de comentários da sobrinha sobre a sua paternidade, na rede social. Ou seja, para a Justiça, a jovem provocou o assunto, e a tia apenas deu sua opinião.

Você pode gostar