Por

O Procurador João Carlos Teixeira foi contra, mas o Sindicato dos Empregados de Empresas de Asseio e Conservação do Município do Rio de Janeiro ganharam a bolada de R$ 3,5 milhões em honorário. Teixeira defendia R$ 1,5 milhão como o chamado razoável.

Você pode gostar