Temer quer aprovar a PEC 287 este ano

Presidente muda discurso sobre Reforma da Previdência passar no Congresso

Por

Aposentado aos 55 anos, Temer diz que reforma cortará privilégios
Aposentado aos 55 anos, Temer diz que reforma cortará privilégios -

O presidente Michel Temer mudou o discurso. Após alegar que não conseguiria aprovar a Reforma Previdenciária, pelo fato de a base aliada estar dividida, voltou a confirmou ontem que o governo quer aprovar a PEC 287 ainda em 2017.

"Nós vamos fazer a reforma que é importante para o país e vamos desmistificar e desmentir certas coisas que disseram no começo", afirmou o presidente, em cerimônia de entrega simbólica dos primeiros Cartões Reforma, para que famílias de baixa renda possam fazer melhorias em suas casas.

Temer voltou a defender que a Reforma da Previdência acabará com privilégios na hora de aposentar. "Não faz sentido os trabalhadores da iniciativa privada levarem um tempo mais longo para se aposentar e se aposentem com valor pequeno, enquanto servidores públicos se aposentam mais cedo e com valores estratosféricos. Estamos tendo coragem para fazer isso", acrescentou Temer, que se aposentou aos 55 anos como procurador do Estado de São Paulo, idade bem abaixo do que a PEC 287 propõe.

Temer tentou explicar que a proposta não impedirá que as pessoas possam se aposentar. Ele ressaltou que o projeto atual prevê uma regra de transição ao longo de 20 anos.

BOLSA FAMÍLIA

Ontem, o ministro do Desenvolvimento Social, Osmar Terra, afirmou que governo pretende aumentar o benefício do Bolsa Família. A ideia é reajustar o valor pela inflação e mais um pouco. O reajuste será dado em março ou abril, o que não seria um problema por questões eleitorais. Conforme o ministro, devido a inflação estar mais baixa possibilita o acréscimo do valor, concedido a 13,5 milhões de famílias.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários