BLOQUEIO E SEQUESTRO DE BENS DE 13 PESSOAS E 33 EMPRESAS

Valor total deve chegar a R$ 270,7 milhões, segundo Ministério Público

Por ADRIANA CRUZ

O desembargador federal Abel Gomes, do Tribunal Regional Federal (TRF-2) determinou ontem o bloqueio de bens e sequestro/arresto de bens de 13 pessoas e 33 empresas investigadas na Operação Cadeia Velha, entre elas os deputados Jorge Picciani, Édson Albertassi e Paulo Melo, todos do PMDB. O valor deve alcançar, pelas contas do Ministério Público Federal, R$ 270,7 milhões como prejuízo aos cofres públicos, que pode ser reajustado, diferentemente dos R$ 5,7 bilhões publicados na edição de ontem.

A ordem do desembargador atinge ativos financeiros e bens móveis e imóveis, incluindo veículos, embarcações e aeronaves, "nos termos requeridos pelo MPF e nos limites dos valores que igualmente constam daquela listagem". Só de Picciani o bloqueio chega a R$ 154,4 milhões.

Também ontem, Abel Gomes prorrogou a pedido do MPF a prisão temporária por mais cinco dias de quatro investigados na Operação Cadeia Velha: Felipe Carneiro Monteiro Picciani, filho de Picciani, Ana Claudia Jaccoub, Marcia Rocha Schalcher de Almeida e Fabio Cardoso do Nascimento. Os quatro são acusados de integrar organização criminosa com a participação dos deputados que recebiam propina, principalmente, da Federação das Empresas de Transportes de Passageiros do Estado do Rio de Janeiro (Fetranspor) para fabricar legislação favorável aos empresários do setor.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários