Oficina de Criação, da Aspen Pharma - Divulgação
Oficina de Criação, da Aspen PharmaDivulgação
Por
Publicado 03/11/2017 15:54 | Atualizado há 3 anos

Um dos desafios das grandes empresas, hoje, é manter seus funcionários produtivos e com baixo nível de estresse. Algumas apostam em ambientes informais e metas flexíveis para atingir esse objetivo, enquanto outras decidem engajar os colaboradores em causas sociais. Esse é o exemplo da Aspen Pharma, farmacêutica sul-africana situada no Rio de Janeiro. A empresa mantém o projeto "Oficina de Criação", no qual os funcionários dedicam um dia do mês ao aprendizado de artes manuais para descansar a mente.

O programa funciona em parceria com a Associação de Apoio à Mulher Portadora de Neoplasia (AAMN), uma instituição sem fins lucrativos que fornece alimentação e hospedagem para mulheres com câncer de fora do Rio e sem condições de permanecer na cidade para o tratamento. A casa sobrevive de doações e da venda do artesanato produzido pelas voluntárias.

"Vamos coletar todas as peças produzidas por nossos funcionários e doar para a AAMN como forma de ajudar na renda mensal da instituição", afirma Patrícia Franco, gerente de RH.

Ações sociais como essa fazem parte do DNA da farmacêutica. Há oito anos no Brasil, a Aspen Pharma criou um programa de voluntariado para engajar seus funcionários, o "Eu Sou Voluntário". O objetivo é fortalecer o princípio de que, junto com a empresa e a comunidade, todos podem aprender práticas capazes de ajudar na construção de um futuro melhor.

A iniciativa gerou grande adesão dos funcionários e resultou em mais de 700 pessoas beneficiadas e mais de 1.700 itens doados em quase três anos. "Com o projeto de parceria fixo na AAMN, vamos poder explorar com mais frequência nosso lado social através do 'Eu Sou Voluntário', proporcionando ajuda na manutenção da casa e momentos de festa nas datas comemorativas", afirma Patrícia.

Você pode gostar
Comentários